Horário de Verão entra em vigor nesse domingo

O horário de verão começa no domingo, 16 de outubro, quando os relógios dos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão ser adiantados em uma hora. A medida tem como objetivo estimular o aproveitamento do uso de luz natural para economizar energia.

Esta será a 41ª edição do horário de verão no país. A primeira vez ocorreu no verão de 1931/1932. O objetivo é estimular o uso racional e adequado da energia elétrica.

A gerente da unidade da Celesc de Videira, Tânia Farias destaca ual é a função do horário de verão em relação à diminuição do consumo de energia elétrica.

“Lembramos que o horário de verão busca a redução da demanda máxima do Sistema Interligado Nacional no período de pico – entre 18 às 21 horas. Dessa forma, é alcançado um alívio do carregamento dos sistemas de geração, transmissão e distribuição, aumentando a segurança e a confiabilidade operativa” destaca.

Sobre a economia que é resultante dessa redução nos sistemas de energia, Tânia destaca que o principal beneficiado é o consumidor.

“A economia proporcionada está vinculada ao sistema como um todo, o que consequentemente vai impactar nas negociações de compra de energia, e nos cálculos de revisões tarifárias, beneficiando o consumidor final normalmente no ciclo seguinte à revisão” enfatiza.

No ano passado a média de redução na demanda ficou entre 5%. Para esse ano a gerente da unidade da Celesc de Videira, Tânia Faria, destaca que o índice deve ficar entre 4,5% e 6%.

“Tratamos a redução sempre relativa à demanda em relação ao número de Unidades Consumidoras “UCs” no horário de ponta. Em Santa Catarina a estimativa de redução na demanda é de 175 MW no horário de ponta noturna, entre as 18h e 21h, o equivalente a 5% do registrado na média do ano. Videira acompanha a média do Estado. Baseados nos históricos anteriores percebemos que o índice gira entre 4,5% e 6%” comenta.

Porém, essa mudança de horário e de iluminação pode acarretar alguns problemas no organismo, principalmente de sono e metabolismo.

Sono

O principal problema causado pelo horário de verão é a hora de sono que a mudança rouba. Atinge a maioria das pessoas, independentemente do horário em que acordam. Quem costuma sentir os efeitos da mudança de horário no organismo pode começar a se preparar desde já, adiantando gradualmente a hora de dormir.

Mesmo se você não fizer essa pré-adaptação, seu sono irá se recuperar naturalmente em até duas semanas. Os especialistas explicam que o importante para uma boa adaptação é a repetição regular dos horários, ou seja, ir dormir todos os dias no mesmo horário para que o organismo se acostume.

As consequências da mudança de horário no organismo podem ir desde mal estar, dificuldades para dormir, sonolência diurna até a alterações de apetite. É preciso tomar alguns cuidados nos dias seguintes à mudança de horário, como evitar dirigir distâncias longas.

Os idosos e as crianças, por terem uma necessidade maior de sono e de rotina, podem sentir mais os efeitos da mudança de horário.

Principalmente as crianças que vão para a escola de manhã e que terão que levantar uma hora mais cedo podem ter uma sonolência maior pela manhã. Uma dica para melhorar a adaptação é dormir com a janela aberta, para que a luminosidade natural ajude a despertar mais cedo.

Hormônios

O horário de verão também pode afetar a produção de certos hormônios, por causa da glândula pineal, cujo trabalho depende do ciclo solar. Ela estimula a produção de alguns hormônios no primeiro contato com a luz solar e de outros com a ausência de iluminação. Como no horário de verão a luz do dia permanece por mais horas, é comum que as pessoas tenham o sono alterado.

Portanto, uma pessoa que costuma acordar quando o sol já nasceu e que, com o horário de verão, passará a acordar quando ainda está escuro, poderá ter dificuldades para ativar seu metabolismo logo cedo. Os médicos explicam que não é difícil se acostumar com o novo horário e que pequenas medidas podem encurtar o período de adaptação ao horário de verão, evitando prolongar insônias, dificuldade de acordar e cansaço durante o dia – principais problemas que vêm junto com o novo horário.

Governo prevê economia de R$ 147,5 milhões

Neste ano, o horário de verão vai vigorar do dia 16 de outubro a 19 de fevereiro de 2017. O objetivo da medida, adotada no Brasil desde 1931, é proporcionar uma economia de energia para o país, com menor consumo no horário de pico (das 18h às 21h), pelo aproveitamento maior da luminosidade natural. Com isso, o uso de energia gerada por termelétricas pode ser evitado, reduzindo o custo da geração de eletricidade.

No ano passado, a adoção do horário de verão possibilitou uma economia de R$ 162 milhões, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). A economia foi possível porque não foi preciso adicionar mais energia de usinas termelétricas para garantir o abastecimento do país nos horários de pico. Para este ano, a previsão de economia é de R$ 147,5 milhões.

No Brasil, o período em que é aplicado o horário de verão é, geralmente, da segunda quinzena de outubro até fevereiro, começando e terminando aos domingos, permitindo que a maioria da população ajuste seu relógio biológico em um dia de descanso.

No mundo, cerca de 30 países adotam o horário de verão, principalmente no hemisfério Norte, porque, no verão, o sol costuma iluminar os países durante 22 horas diárias.

%d blogueiros gostam disto: