Todos os homens do presidente

Nove meses depois da ascensão de Michel Temer ao poder, o partido do presidente, o PMDB, caminha a passos largos em direção ao abismo, exatamente como o PT. Neste tempo, a gestão Temer pariu as bases para a retomada do crescimento. Notícia alvissareira. Também está encaminhando a aprovação de reformas, o que já deveriam ter sido feitas há pelo menos 20 anos. Reformas que são umbilicalmente ligadas ao desenvolvimento econômico. Maravilha. Mas as boas novas param por aí. Na seara político-policial, o avanço da Lava Jato, apesar de todos os esforços que vêm sendo envidados para brecá-la, aponta para um presidente encurralado pelos próprios erros, bem como pelos deleites sobre verbas públicas de seus protegidos mais próximos. A cada semana, Eliseus, Renans, Jucás, Sarneys, Barbalhos, Lobãos e etc e tal, afundam mais na lama mal cheirosa que insiste em continuar jorrando dos dutos da Petrobrás e dos pilares do consórcio político-empresarial que, segundo o MPF e a PF, formaram a maior organização criminosa de que se tem notícia, assaltando os cofres públicos.

Ziriguidum
O samba no Planalto atravessou em pleno Carnaval. O ex-assessor presidencial, José Yunes, botou o bloco na rua e denunciou, publicamente, que teria recebido parte dos R$ 10 milhões que Michel Temer “encomendou” a Marcelo Odrebrecht, em 2014. Mimo da campanha que mostrou e prometeu um Brasil que só existiu e existia na cabeça de Dilma, Lula, do marqueteiro João Santana e dos gatunos que se beneficiaram fartamente da roubalheira; bem como na mente iludida dos fanáticos seguidores da seita lulo-petista! Tudo feito em conluio com o principal sócio dos petistas, o velho PMDB de guerra.

Desafio
O pivô da negociata da qual Yunes diz ter feito parte é o todo-poderoso Eliseu Padilha, amigão do presidente. Ele, evidentemente, já negou qualquer irregularidade. No que foi desafiado por Yunes para uma acareação. Michel Temer está de cabelos em pé. Agora cabe ao Ministério Público ouvir Padilha e avançar nas investigações.

Dá um Google
Defesa Civil SC é autorizada a emitir alertas também nas plataformas do Google. O acordo foi firmado semana passada, em São Paulo. À mesa, autoridades representando o governo federal, o Google, a Cenad e a secretaria da Defesa Civil, esta representada pelos secretários Rodrigo Moratelli e Fabiano de Souza.

Plano-piloto
A emissão de notificação de emergência nessa nova ferramenta começa como experiência, em 8 de maio, junto com os municípios pilotos da notificação via SMS. Depois será estadualizada. Moratelli lembra que essa plataforma é usada somente nos Estados Unidos, Japão, Canadá e Austrália. Aqui no Brasil, Santa Catarina é o Estado pioneiro dessa ferramenta que conseguiu o projeto em virtude do grau de envolvimento das plataformas de comunicação de alertas que a secretaria da Defesa Civil usa.

Espaço
No contexto da Câmara Federal, o PP e o PSB seguem sintonizadíssimos. Em 2016, o deputado Jorge Boeira (PP) afastou-se por quatro meses, período no qual assumiu o então suplente Fabrício Oliveira (PSB). Esta janela é considerada um fato muito importante para a consistente vitória de Oliveira, em Balneário Camboriú, ano passado.

Repeteco
Na retomada dos trabalhos, Boeira vai novamente pedir licença. Desta vez, quem assumirá é o ex-deputado federal de vários mandatos, Odacir Zonta. Não custa lembrar que o PSB já declarou apoio ao projeto majoritário do PSD, com Gelson Merísio pré-candidato ao governo do Estado. A gentileza entre PP e PSB é mais um sintoma de que a presença do PP na aliança vai se encaminhando muito bem, obrigado.

%d blogueiros gostam disto: