Segunda lista

Com a divulgação esperada para os próximos dias, a segunda lista de denunciados pela Procuradoria Geral da República no escândalo da Lava Jato, chamada de segunda lista de Janot (em alusão a Rodrigo Janot, chefe do Ministério Público brasileiro), gera nova onda de tensão nos meios políticos. Ela é baseada na delação dos 77 ex-executivos da Odebrecht. Especula-se que deve sangrar ainda mais o PMDB e começar a incomodar bastante o PSDB. O PT, lançado à lona, agora só assiste de camarote às novas fases da força-tarefa e arrefeceu o ímpeto crítico em relação às investigações (pimenta nos olhos alheios é colírio). Embora a relação dos denunciados chame tanta atenção, por motivos óbvios, o fato é que a primeira lista de Janot, apresentada ao distinto público em março de 2015 (há dois anos, portanto) teve o poder de transformar quatro políticos em réus. Considerando-se o universo de 50 denunciados, o percentual de efetividade foi de apenas 8% naquela primeira leva. A conferir o verdadeiro poder de fogo da segunda investida do MP contra a corrupção deslavada, desenfreada e endêmica que se estabeleceu neste país.

Farinha
Como já registramos em diversas oportunidades na coluna, Aécio Neves vai sendo envolvido pela Lava Jato, em denúncias tão cabeludas como as que pegaram petistas, peemedebistas e progressistas. Ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Júnior colocou o dedo na ferida: à Justiça Eleitoral, o empresário afirmou que o grão-tucano mineiro foi beneficiado com R$ 9 milhões em 2014, ano eleitoral. Dinheiro, obviamente, de propina.

Tragado
À medida que a Lava Jato avança, o sonho do neto de Tancredo, de disputar novamente a presidência, vai se transformando em pesadelo. Contexto que favorece, até segunda ordem, o governador Geraldo Alckmin. Mas também pairam dúvidas sobre a capacidade de sobrevivência eleitoral do paulista até as convenções do ano que vem.

Maratonistas
Na manhã do último domingo, o prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, participou da 24ª Maratona de Joinville. Corredor desde jovem, disse que se inscreveu nos cinco quilômetros e aguentou até o final. Em seguida, o alcaide tomou café com o deputado Marco Tebaldi (conhecido por disputar outro tipo de maratona, a política), com quem trocou algumas impressões sobre a sucessão estadual. Tebaldi defende que Napoleão é bom nome para a majoritária do ano que vem. “Sou bem pé no chão. E aceito desafios e sou parceiro se for preciso”, garantiu o prefeito, não descartando a possibilidade.

Carne
O governador Raimundo Colombo comemorou a medida sul-coreana e lembrou que a oitava etapa prevê as inspeções “in loco” dos frigoríficos pelos técnicos da Agência de Quarentena Animal e de Plantas (QIA) para a habilitação das empresas para exportarem para a Coreia do Sul.

Vibrante
“Estamos vibrando porque definitivamente a Coreia do Sul agora autorizou a missão de reconhecimento para SC poder exportar a carne suína para o país, que é um dos maiores importadores do mundo”, afirmou. “Os nossos frigoríficos estão habilitados para atender os sul-coreanos porque já exportam carne suína para o Japão e outros mercados”, completou Colombo. Bela notícia. Pode ajudar o Estado a sair ainda mais rapidamente da crise.

%d blogueiros gostam disto: