Nova golpe está sendo aplicado na região com compra e venda de carro

Golpe do Carro foi aplicado na última semana em Concórdia

Praticado em várias partes do Brasil e movimentando milhões de reais, o Golpe do Carro foi aplicado na última semana no município de Concórdia. O alerta é da empresária Simone da Fonseca Arantes, que quase foi vítima do golpista. A trama consiste na tentativa de compra de um veículo que a possível vítima está vendendo na internet. Eles ficam com o carro e o vendedor não recebe o dinheiro.

Simone contou para a reportagem da emissora que colocou a caminhonete dela à venda na internet e que na semana passada um homem, identificado como Felipe e sendo de Goiás, entrou em contato dizendo estar interessado. Ele disse que iria mandar uma pessoa para ver a situação do veículo antes de efetuar a compra. Essa pessoa que foi até a casa de Simone era um garagista de Concórdia, que é a segunda vítima, já que o golpe é duplo e consiste sempre em enganar o vendedor do carro e um dono de loja do ramo.

O golpista conta histórias diferente para as duas pessoas. Para Simone, a história relatada acima. Para o garagista, disse que Simone devia para este homem e que o pagamento seria o veículo. Assim, o dono da loja compraria o veículo e pagaria para o golpista. No entanto, a demora para que o golpista depositasse o valor que Simone pediu no banco fez com que a empresária desconfiasse. O suposto comprador dizia estar na fila do banco para depositar o valor, mas pedia para que ela adiantasse a assinatura dos documentos, tudo para que ela passasse o veículo para ele antes de efetuado o apagamento.

Homem confirma golpe

A empresária esclareceu o fato com o garagista e também entrou em contato com a polícia. Sem conhecimento de outros casos semelhantes em Concórdia, a recomendação da PM foi para que ela aguardasse até um horário determinado. Caso o depósito não fosse efetuado, os policiais aconselharam que ela desistisse do negócio por ser um golpe. Foi o que ela fez. Em seguida, ela mandou mensagem ao golpista, dizendo saber que aquilo era um golpe e que havia avisado a polícia. Segundo Simone, o homem ficou irritado, a xingou-a e afirmou ser o chefe da quadrilha.

A quadrilha que ele se refere é a responsável por uma série de golpes deste mesmo tipo que são feitos em vários pontos do Brasil. A origem da maioria deles é de código 65, o mesmo que entrou em contato com a concordiense, ou seja, do estado de Mato Grosso. O caso já movimentou milhões de reais em estados como Rio Grande do Sul, norte de Santa Catarina e até São Paulo. Simone disse que o homem é muito bom em persuadir e que por muito pouco não foi uma vítima e perdeu quase R$ 70 mil.

Fonte: Rádio Videira

%d blogueiros gostam disto: