Freio de arrumação

A ordem entre as principais lideranças políticas do Estado, inseridas no contexto das maiores siglas partidárias, é de puxar o freio de arrumação. Cautela e canja de galinha nunca fizeram mal a ninguém, principalmente em momentos de crise aguda. Na esteira das delações da Odebrecht, que recheiam todos os meios de comunicação, é muito cedo para fazer qualquer previsão “definitiva” com vistas ao cenário eleitoral de 2018.

Verdade que o PT, PSD e o PSDB, até o momento, são os partidos mais atingidos pelo que já veio à tona, relativamente a Santa Catarina. Verdade também que o PP vem logo em seguida, como também confere que, até aqui, o PMDB só apareceu com o nome citado do deputado federal Edinho Bez.

Independentemente do nível dos ferimentos ou mesmo de quem aparentemente esteja passando ileso pela devassa da  Lava Jato, ninguém arrisca comemorar publicamente. Até porque, não se sabe o que ainda pode surgir, já que outras delações virão. Muitas avaliações e pesquisas também virão e tudo dependerá de como serão conduzidos os processos e como chegarão em 2018 os principais personagens. Até porque, falta quase um ano e meio para o prazo fatal das convenções homologatórias!

Pior sem ele

Fazendo uma análise desapaixonada do cenário, a conclusão é óbvia: Michel Temer tem o melhor perfil para o momento, pois é a economia sob sua gestão o grande salvador da pátria nacional neste 2017.  Evidentemente que ele não parece e nem deve ser santo, mas o quadro estaria bem mais delicado sem ele!

Fermento

Os catarinenses que serão investigados ou foram apenas citados nas delações da Odebrecht já somam 23 nomes. Na primeira leva de informações, quarta-feira passada, eram apenas quatro.

Caminhos

Noves fora o tsunami gerado pela Lava Jato, o PSDB estadual tem se articulado diante de três cenários possíveis quando o assunto é o pleito do ano que vem. Em um extremo, a composição com o PSD. No outra ponta, aliança com o PMDB. E a terceira via, que seria uma chapa própria e pura.

Nominata

Paulo Bauer encabeçaria, tendo o prefeito de Criciúma, que é forte no Sul, Clésio Salvaro, de vice, e o prefeito reeleito de Blumenau (terceira maior cidade de Santa Catarina), Napoleão Bernardes, ao Senado.

Bon vivant

E não tem nada de esquerda. Assim um dos mentores da parte final do regime militar, Golbery do Couto e Silva, definiu Lula da Silva para tranquilizar Emílio Odebrecht. Isso há mais de 40 anos!

Revoada

Não se espantem se pequenas siglas, quase que insignificantes e, por isso mesmo, sem figurar na Lava Jato, começarem a receber grupos de filiados e lideranças políticas nos próximos meses. Está escrito nas estrelas.

Advocacia

O presidente nacional da OAB, Cláudio Lamachia, o ministro do Superior Tribunal de Justiça, Marco Aurélio Buzzi, e o jurista Celso Bandeira de Mello, dentre outros renomados profissionais do Direito, confirmaram presença na XVIII Conferência Estadual da Advocacia, marcada para os dias 24 a 26 de maio, em Criciúma. Os organizadores esperam cerca 1,5 mil participantes.

%d blogueiros gostam disto: