fbpx

Professora da Unoesc Videira desenvolve projeto de Pós-doutorado na Espanha

A identificação de resistência às terapias Anti-Her2 em ​c​âncer de mama foi ​tema do trabalho de pós-doutorado desenvolvido no Instituto Universitário de Biologia Molecular e Celular de ​câncer (IBMCC), na Universidade de Salamanca, ​na Espanha,​ pela professora ​D​ra. Claudriana Locatelli da Unoesc Videira. O trabalho contou com a orientação do Professor Ph​​D. Atanasio Pandiella Alonso do (IBMCC), e​ com o apoio da Unoesc Videira e do programa Ciência ​s​em ​​Fronteiras do governo federal.

Claudriana conta que o Professor Pandiella e o IBMCC da Universidade de Salamanca na Espanha, são referência mundial em pesquisa sobre o câncer  de mama. Após aceite pelo programa Ciência Sem Fronteiras a professora iniciou sua pesquisa na Espanha com tumor de mama resistente às terapias anti HER2 em busca de novos resultados​,​ que possibilite​m​ sobrevida maior aos pacientes​, com melhor qualidade  de ​v​ida.

​Claudriana comenta que uma porcentagem significativa dos casos de câncer de mama são diagnosticados como HER2-positivo​,​ associados com fenótipos de tumor mais agressivo​. Com isso​, há​ maior probabilidade de comprom​e​timento dos linfonodos e aumento da resistência à terapia, apresentando uma taxa de sobrevida significativamente menor.

​O​ câncer de mama metastático ainda permanece como um problema clínico não resolvido, visto que em estágios avançados e agressivos es​s​as estratégias são caracterizadas por maus resultados, falta de especificidade e resistência ao tratamento.

Procuramos com a pesquisa verificar a resistência  do câncer contra essas terapias  mais recentes, e com isso desenvolver estratégias de tratamento mais eficientes para os pacientes de câncer de mama HER2-positivos, um dos mais agressivos.

NOVAS PESQUISAS

 A pós-doutora Claudriana Locatelli explica que a realização desse trabalho na Espanha não est​á​ finalizado e​,​ agora​,​ pretende dar continuidade ​à​s pesquisas aqui no Brasil, mas com o suporte da Universidade de Salamanca. Isso possibilitará o conhecimento de novas técnicas​,​ as quais poderão contribuir para o desenvolvimento de novas pesquisas por parte da Unoesc​,​ favorecendo a região meio oeste de Santa Catarina, ​através da orientação de alunos de mestrado. Posteriormente​,​ ​esses estudos ​também poderão ser empregados na Unoesc​,​ capacitando mestrandos na área, além de abrir portas para realizar parte de seus experimentos na Universidade de Salamanca através de cooperação técnica.

Minha principal motivação em realizar o pós-doutoramento através do Programa Ciência sem Fronteiras foi a possibilidade de conhecer novos processos associados aos mecanismos de resistência à ação antitumoral, os quais não foram possíveis ​de ​ser explorados durante a realização do doutorado. Além disso, ​há a​ necessidade pessoal e profissional de atualização nesta área​,​ visto hoje estar ligada ao programa de pós-graduação ​na modalidade de mestrado do ​P​rograma de Ciência e Biotecnologia da Universidade do Oeste de Santa Catarina – U​noesc, no qual atuo como orientadora, finalizou.

%d blogueiros gostam disto: