Kassab e o PSDB

O Ministro da Ciência, Tecnologia e Comunicações, Gilberto Kassab, passou a segunda feira em Santa Catarina, mais precisamente em Florianópolis. Teve agenda em dois compromissos de cunho administrativo na companhia de Raimundo Colombo, que retomou sua agenda no mesmo dia depois de convalescer de internação causada por diverticulite.

Paralelamente à agenda oficial, não poderiam faltar conversas político-eleitorais. Kassab é o presidente nacional do PSD, partido do governador. No final de semana que passou, surgiu o fato novo na política nacional, com o ministro da Fazenda, Henrique Meirellles, também do partido de Kassab e Colombo, anunciando que deseja ser pré-candidato a presidente.

Neste contexto, projeções e avaliações para o futuro do cenário catarinense. O PSD pretende lançar candidato próprio ao governo estadual, na figura do deputado Gelson Merisio, que já tem ao seu lado o PSB de Paulo Bornhausen, e o PP. Ele quer também contar com o PSDB. Mas os tucanos desejam ter seu próprio candidato à sucessão de Colombo. É o senador Paulo Bauer, que já disputou em 2014 e por muito pouco não chegou ao segundo turno. É aí que entra Kassab, nas negociações nacionais com o tucanato. Poderemos ter novidades importantes nos próximos dias.

Cara de paisagem

Em meio a indefinições, a Embratur segue sua agenda. A ordem, por lá, é manter a normalidade mesmo com o fantasma das retaliações do Planalto.

Na segunda de manhã, o presidente Vinícius Lummertz  despachou da Esplanada como o ministro do Turismo Marx Beltrão. No sábado, ele viaja para a Inglaterra para participar de uma feira em Londres.

Radar

Na semana passada, o jornalista Mauricio Lima, do Radar da Revista Veja, deu nota informando que o clima na autarquia era péssimo e que o presidente Lummertz poderia perder o cargo no vácuo do voto de Mauro Mariani contra o presidente Michel Temer na votação da segunda denúncia de Janot.

Jasc

A abertura oficial dos Jogos Abertos de Santa Catarina 2017,  no fim de semana, em Lages, representou a vitória e a superação de um duplo desafio para o secretário de Estado do Turismo, Esporte e Cultura, Leonel Pavan e para o Presidente da Fesporte, Erivaldo Caetano Júnior, o Vadinho: a realização do próprio evento, paralisado desde o ano passado e o resgate do orgulho e a imagem dos Jasc e dos atletas catarinenses.

Empresários e políticos

Representa também a união de esforços políticos e uma inédita parceria com a iniciativa privada para resgatar o evento. O prefeito de Lages, Antonio Ceron (PSD) abraçou a iniciativa desde o inicio, assim como o vice-prefeito , Juliano Polese (PP), que assumiu ele próprio a presidência da Comissão Central Organizadora (CCO). Já o diretor-presidente da Havan, Luciano Hang confirmou patrocínio das lojas aos jogos, incluindo a doação de cinco mil bolas de futebol, vôlei e basquete para as escolas de Lages e da região.

Circulando

Pré-candidato do PSD ao governo, Gelson Merisio também cumpriu agenda motivado pelos Jasc. Sobre composições e eleições no ano que vem, ele desconversou.

%d blogueiros gostam disto: