SC registra taxa recorde em doações de órgãos em 2017

Segundo a Central de Transplante estadual, resultados refletem treinamento de profissionais.

Santa Catarina registrou taxa recorde em doações de órgãos em 2017. Foram 282 doadores de múltiplos órgãos, três vezes mais que a média brasileira comparando ao número de habitantes.

Para o coordenador da Central de Transplantes de Santa Catarina, os resultados refletem o treinamento de 600 médicos e enfermeiros realizados por ano. As equipes discutem como envolver os familiares no hospital.

“Essa relação de ajuda, esse apoio, esse acolhimento, resulta lá no final, quando é colocada a possibilidade de doação, em mais doações”, detalha o coordenador, Joel de Andrade. Cerca de 67% das famílias abordadas em hospitais catarinenses autorizam a doação.

Fila de espera

No entanto, o dado positivo não aumentou o número de transplantes, mas é um passo importante na luta para salvar vidas. A fila de espera por um órgão é nacional. No ano passado, 1217 pessoas foram convocados para fazer um transplante.

Em Santa Catarina eram 559 pacientes na fila de espera por um transplante em 2017. Um deles era o vendedor Agenor dos Santos Medeiros, que tinha cistos nos rins.

“Tenho duas datas de nascimento agora. Faço aniversário em 15 de fevereiro e ganhei o rim em 19”, afirma. Medeiros recebeu um novo rim há um ano. “O médico falou para mim que não tinha muitas semanas de vida. Qualquer telefone pensava que era do hospital. Você não sofre sozinho, sofre você, sofre sua família”, relembra.

A aposentada Ana Maria Pereira, com cistos no fígado, tem um órgão novo há dois anos e explica que também a ligação para fazer o transplante é um dos momentos mais esperado. “Só aquela hora que tu diz: chegou a hora, verdadeiramente”, conta. Agora ela só pensar em um coisa: “Viajar”.

Fonte: G1

%d blogueiros gostam disto: