Eduardo e Udo

Prefeito de Joinville, Udo Döhler esteve novamente em Florianópolis conversando com o governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira. Os dois estão alinhados. Significa que, no ambiente interno do MDB, posicionam-se contra o presidente estadual da legenda, deputado federal Mauro Mariani. Os ex-governadores Casildo Maldaner e Paulo Afonso Vieira estão no grupo de Moreira e Udo.

O senador Dário Berger alinha-se com Mariani. Embora Pinho Moreira não tenha assumido qualquer compromisso de não ser candidato à reeleição, Udo avalia seriamente a possibilidade de renúncia. E assim como o governador, está observando atentamente o cenário.

Como o MDB pode ficar isolado, contando apenas com o PR, a ideia de renúncia de Udo, para ficar como uma espécie de coringa, ganha força. Até para compor uma chapa com um nome do Sul e o outro do Norte do Estado. A definição sobre o cabeça de chapa fica para mais adiante. Assumindo definitivamente o governo, Moreira só poderá candidatar-se à reeleição. Udo seria opção, então, para vice ou mesmo o Senado.

Argumentação

Resta saber como reagiria a opinião pública de Joinville. Renunciar para disputar o governo é uma coisa. Para virar opção para compor a majoritária é outra bem diferente. Enfraquece o argumento do prefeito para deixar o cargo. O vice de Udo, embora seja um homem de bem, é um ilustre desconhecido do mundo político. É outro componente que precisa ser levado em consideração.

Kleinübing no DEM

Nesta quinta-feira, o DEM promove encontro nacional da legenda em Brasília. Consta que o deputado federal João Paulo Kleinübing vai anunciar sua filiação ao Democratas, apesar do esforço de Raimundo Colombo para segurar o parlamentar no PSD. JPK deve ser anunciado como pré-candidato ao governo. Seria, na verdade, uma tacada para ficar como uma alternativa de composição lá frente. O nome do deputado é bem visto para a majoritária, com possibilidades de estar numa aliança de vice ou postulante ao Senado.

Janela

Lembrando que a janela para que deputados possam mudar de partido sem correrem o risco de perderem o mandato abriu nesta quarta-feira, 7. Ela ficará aberta até 7 de abril, prazo fatal para a desincompatibilização de agentes públicos que irão disputar o pleito de outubro.

Ágape

Raimundo Colombo e Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, jantaram, terça-feira à noite, em Brasília. Passaram em revista os cenários políticos.

Rodrigues fora do PSD

Fabiana Rodrigues, esposa do deputado federal João Rodrigues, já se desfiliou do PSD. O marido possivelmente seguirá o mesmo caminho. Vai ficar sem partido e espera concluir o mandato para se retirar da vida pública. O nome de Fabiana foi ventilado para disputar uma cadeira na Alesc. Mas isso já está descartado.

Família

A prioridade do casal Rodrigues daqui por diante é recompor o aspecto familiar e cuidar das duas filhas, que ficaram abaladas com toda a situação envolvendo o pai.

Importante lembrar que João Rodrigues poderá seguir no mandato. Pelo menos até a manifestação do Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Prisão

Resta para a defesa de Lula da Silva, e talvez às forças ocultas, pressionarem o STF para rever a decisão de prender condenados em segunda instância após o esgotamento dos recursos. Depois do 5 a 0 no STJ, que negou habeas corpus preventivo ao petista, a prisão dele é questão de tempo. Talvez de dias. Nunca antes na história deste país o Supremo foi tão pressionado.

%d blogueiros gostam disto: