Medos, inseguranças e incertezas

Isso mesmo.  É assim que nós, pais e mães nos sentimos em relação a vida de nossos filhos. Mas será que devemos nos sentir assim?

Fazendo uma retrospectiva da forma que fomos criados e aprendemos a ver o mundo, podemos considerar que erramos muito em relação a educação de nossos filhos. Nossos pais nos ensinaram que nada na vida é fácil e desta forma lidamos bem com as frustrações, ensinaram que para termos as coisas precisamos merecer e além de tudo nos esforçar para tal; então antigamente as pessoas não tinham tudo com facilidade.

Nos dias atuais, os pais que passaram por esta geração que sabia enfrentar dificuldades decidiu que com seus filhos tudo iria ser diferente, e assim uma geração inteira saiu “estragada”.

Façamos um exame de consciência e logo iremos perceber que foi assim que tudo aconteceu. Nossos filhos não sabem lidar com o NÃO, não sabem lidar com as perdas que a vida nos causa e que são inevitáveis e além disso, sentem a necessidade de ter tudo e não se contentam com nada.

Nossos filhos recebem uma enxurrada de informações diariamente diferentemente do que acontecia conosco. Para que soubéssemos de alguma notícia precisávamos sentar em frente à televisão e assistir o jornal com os pais e o detalhe; em silêncio. Os acontecimentos demoravam mais para serem assimilados e agora são instantâneos.

Somos culpados sim, por facilitar a vida dos nossos filhos e não querer deixar que passem por tudo o que nós passamos. Somente esquecemos que se somos quem somos, por ter passado por dificuldades e experiências diferentes, onde nossos filhos não passam porque não deixamos.

Está na hora de mudarmos nossa postura de pais para que nossos filhos se tornem pessoas de bem e sem tantas dificuldades no momento que ouvirem um não. Hoje, você pode protege-lo, mas quando adulto, com certeza não estaremos no trabalho, na faculdade ou até mesmo nos relacionamentos amorosos.

Pense nisso, e contribua positivamente para que seu filho seja um adulto saudável.

%d blogueiros gostam disto: