Cuidados no descarte do lixo doméstico

Dia 16 de maio é comemorado o Dia do Gari. Esta data tem o objetivo de homenagear os profissionais responsáveis em manter as ruas, praças e praias limpas de todo o lixo gerado naturalmente ou por ação do ser humano.

O termo “gari” surgiu em homenagem ao francês Pedro Aleixo Gary, que ficou conhecido por ser o fundador da primeira empresa de coleta de lixo nas ruas do Rio de Janeiro, em 1976.

Em nossa cidade 12 profissionais, através do Departamento de Serviços humanos (DSU), tem o prazer e a responsabilidade de deixarem as ruas limpas e bonitas para todos os videirenses.

Segundo dados do DSU todos os dias as equipes de garis percorrem cerca 32 Km de ruas varrendo e coletando os resíduos. As equipes tem um roteiro pré-determinado e todos os dias das 18h até a meia noite realizam o seu trabalho.

Em nosso município a equipe que é responsável pela limpeza das ruas é formada por 12 pessoas, que se dividem em equipes com duas ou três pessoas que varrem e coletam os resíduos que são jogados nas vias do centro e bairros próximos.

Entrem estes profissionais está Adriana Costa, que a 8 anos desempenha esta função. O seu roteiro começa na parte alta da Rua Brasil, desce pela Coronel Alberto Schmidt, passa pela Pedro Andreazza, segue pela Dom Pedro II até a rodoviária.

Em um conversa rápida é possível reconhecer todo o orgulho que Adriana tem de seu trabalho, pois o sorriso em seu rosto logo brota ao falar de sua responsabilidade. “Sei que tenho que fazer o meu trabalho bem feito, pois assim a minha cidade vai ficar limpa e bonita e com isso todos viveremos melhor e mais felizes”, é assim que Adriana descreve seu trabalho.

Mas uma coisa tira o sorriso do rosto de Adriana. “Fico muito triste quando vejo as pessoas jogando papeis no chão, ao invés de joga-los na lixeira o que acaba atrapalhando nosso trabalho”.

Atuando em outra linha, os garis ou coletores da empresa VT Engenharia que realiza a coleta seletiva em Videira, tem outras preocupações além do lixo jogado no chão.

Vanderlei Ferraz da Silva Cherobim, que atua há quatro anos como gari, e Sebastião Godoes, há dois anos trabalhando na VT Engenharia, comentam que os maior desafio diários enfrentado são os objetos cortantes colocados nos sacos de lixo.

“Algumas pessoas ainda colocam copos de vidro, garrafas quebradas e outros materiais cortantes junto com os demais lixos nos sacos. Quando vamos pega-los acabamos nos cortando. Eu mesmo já sofri um acidente assim e tive que ficar afastado do trabalho logo que entrei na emrpesa” Lembra Vanderlei.

De acordo com Ricardo Testolin, gerente de meio ambiente da VT Engenharia, os acidentes com perfuro cortantes são recorrentes, mas poderiam ser evitados com o auxilio da população.

“Tudo que puder cortar, até mesmo o aparelho de barbear que parece um item simples, pode ocasionar um acidente. Para materiais como copos quebrados, cacos de vidro em geral, orientamos que sejam colocados em uma caixa de papel separados do lixo comum. No caso dos aparelhos de barbear, basta envolver a lamina com papel higiênico para evitar um acidente. Tudo que você tem medo de se cortar em casa, se não acondicionado de forma correta no descarte, vai acabar cortando o gari que está trabalhando” pontua.

Outra dificuldade de trabalho enfrentada pelos garis são os recipientes retornáveis, os famosos “latões de lixo”. Sebastião comenta que muitas vezes esses latões são pesados e acabam dificultando o trabalho dos garis.

“A maioria das pessoas enche esses recipientes até o limite. Quando estamos passando com o caminhão para a coleta, muitas vezes temos que parar o caminhão e pedir ajuda do motorista para poder ergue-lo e despejar o lixo. Sem falar que alguns desses sacos são colocados furados ou sem amarrar dentro desses latões, o que gera mal cheiro e pode atrair animais, como ratos” explica.

Ricardo comenta que a maneira certa de acomodar o lixo até a coleta são as cestas de lixo.

“Se formos fazer uma analise, nosso serviço é individualizado, pois cada cidadão tem hoje em frente a sua casa um recipiente para coleta de lixo. Para que esse trabalho continue sendo realizado da melhor forma possível e para que possamos auxiliar os garis, pedimos que as pessoas adotem as lixeiras, aquelas que ficam altas do chão, evitando que animais não rasguem os sacos e ajudando os garis na hora da coleta. No caso dos tambores ou latões, além de ser difícil de descarregar, ele deve ser bem esvaziado e colocado no mesmo local onde estava, e isso atrasa o serviço” esclarece.

Outra dicas para auxiliar o trabalhos dos garis:

– Sempre acondicionar os resíduos em sacos de lixo ou sacolas plásticas bem fechadas

– Não encher demais os sacos de lixo, para evitar que eles se rompam na hora da coleta.

– No caso de prédios e condomínios que tem abrigos para lixo, manter o local limpo para facilitar a coleta e evitar o aparecimento de animais, como ratos.

– Latas de metal, como de massa de tomate ou leite sardinha, por exemplo, também devem ser colocadas em caixas de papelão, pois podem cortar os garis.

Vanderlei, Ricardo e Sabastião, em entrevista na VT Engenharia.

 

Adriana Costa a 8 anos desempenha a função de gari

%d blogueiros gostam disto: