Recorde negativo

Pesquisa DataFolha divulgada no fim de semana aponta um recorde histórico. E negativo. De Michel Temer, o presidente mais impopular da história. Ele chegou a 82% de rejeição, entre ruim e péssimo. Pulou de 70% de rejeição em abril para os 82% atuais. É um índice quase que inimaginável.

O presidente perdeu 9% de eleitores que consideram sua atuação como regular e 3% de ótimo e bom. Já o Ibope aponta 84% de rejeição presidencial. Enquanto 3% aprovam. Ou seja, Temer está dentro da margem erro entre os que supostamente aprovam sua gestão. Rejeição brutal.

Tudo no vácuo da paralisação dos caminhoneiros, movimento que, curiosamente, não influenciou a corrida sucessória nacional.

Quando o nome de Lula da Silva é apresentado, ele continua em primeiro, com 30% das intenções de voto (tinha 37% na última pesquisa DataFolha). Tirando Lula, Marina Silva ganha cinco pontos e Ciro sobe quatro, segundo o DataFolha, enquanto Bolsonaro belisca dois pontos sem o nome do ex-presidente na urna. Evidentemente o candidato do PSL não terá grande quantidade de votos entre o eleitorado do petista.

Fieis

Mas há um contingente expressivo que só vota em Lula da Silva. São votos que não migram para outra candidatura. Há um grupo que só votaria no próprio Lula da Silva. É um cenário peculiar, para dizer o mínimo, tornando a corrida sucessória absolutamente imprevisível.

Não decolam

Já os nomes de centro, como Geraldo Alckmin e Alvaro Dias, pouco oscilam, tornando

Marina e Ciro os grandes competidores em relação a Jair Bolsonaro. Até o momento.

Verdes

Neste dia 14 às 17 horas o PV de SC dará “um corajoso e audacioso passo”, segundo as palavras de um dirigente estadual, com o pré-lançamento da candidatura de João Paulo Kleinubing (DEM) ao Governo. “Temos a certeza que o João Paulo lutará com toda força para mudar a história desta eleição, que é diferente, curta e cheia de desafios,” assinala este mesmo cacique Verde.

Tucano

Pré-candidato do PSDB à Presidência da República, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin estará em Santa Catarina nesta semana.

O roteiro terá passagens por Joinville, Chapecó e Florianópolis nos dias 12 e 13 de junho. Será a primeira vez que Alckmin visitará Santa Catarina desde que se tornou oficialmente o pré-candidato do PSDB ao Palácio do Planalto.

Marca

Presidente do Partido Social Liberal de Santa Catarina, o pré-candidato ao Senado, Lucas Esmeraldino, está intensificando as viagens pelo Estado, agregando forças e apoio para o pleito de 2018. Com liderança e articulação política, além de sensibilidade social, em menos de três meses, o líder do presidenciável Jair Bolsonaro, ganhou apoio de diversas lideranças catarinenses e já constituiu mais de 60 Executivas Municipais. Até fim do mês, a expectativa é formar mais de 100.

Década perdida

Sob Lula, Dilma e Temer, a segunda década do Século 20 tem tudo para repetir os anos 1980 no Brasil, a chamada década perdida. Foi marcada por crises, recessões, ingerência dos governos, populismo e muita corrupção. PT e MDB afundaram o país que, depois de uma rápida melhora em 2017 e no começo de 2018, pode ficar novamente estagnado do ponto de vista da economia, após a paralisação dos caminhoneiros. Um desastre completo.

%d blogueiros gostam disto: