fbpx

Saiba como será a ordem de votação no dia 7 de outubro

Na eleição que se aproxima, o eleitor vai escolher seis representantes para cinco cargos – presidente, governador, dois senadores, deputado federal e deputado estadual. A ordem dos cargos na urna eletrônica, o voto na legenda e os votos nulo e em branco são aspectos da votação que podem confundir o eleitor nesta que será a maior eleição da história, com mais de 147 milhões de eleitores aptos em todo o país, do quais mais de 5 milhões votam em Santa Catarina.

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recomenda que o eleitor preste atenção à ordem em que os cargos vão aparecer na urna eletrônica. O eleitor vai votar primeiro para deputado federal (número com 4 dígitos); depois para deputado estadual (número com 5 dígitos); em seguida votará duas vezes para senador (números com 3 dígitos); depois para governador (2 dígitos) e, finalmente, para presidente da República (2 dígitos).

Após cada voto, o número e o nome do candidato escolhido aparecerá na tela. Se estiver certo, o eleitor deve apertar a tecla verde Confirma. Se estiver errado, o eleitor deve apertar a tecla laranja Corrige e digitar novamente o número do candidato escolhido, para posteriormente confirmar. A urna indica que a votação termina, após a confirmação dos seis votos, com um bip mais longo e a mensagem “FIM”.

Voto na legenda

No sistema proporcional, que é empregado no Brasil para a escolha de deputados federais e estaduais (e vereadores, nas eleições municipais), o eleitor pode votar no partido, caso não deseje escolher um candidato específico. O número da legenda ou número partidário corresponde aos dois primeiros dígitos do número dos candidatos de determinado partido.

Quando vários partidos compõem uma coligação, é apresentada uma lista única com o nome de todos os candidatos dos vários partidos que a compõem. Nesse caso, os eleitores que votam na legenda de seu partido emprestam seus votos para a coligação como um todo, pois o cálculo do quociente eleitoral é feito com base em todos os votos recebidos pelos candidatos e pelos partidos que compõem a coligação.

Quando vota na legenda, o eleitor não escolhe o deputado de sua preferência, mas contribui com a soma de votos do partido preferido (quociente partidário). Esse é um dos cálculos que vai definir quantas cadeiras o partido ou coligação terá direito na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

Voto nulo e em branco

O eleitor que desejar votar nulo em determinado cargo deve digitar um número de candidato inexistente (por exemplo, 00000) e apertar a tecla verde Confirma.

Para votar em branco, basta apertar a tecla em que está escrito Branco e depois confirmar (tecla verde).

Os votos nulos e em branco não interferem no resultado das eleições, pois não são considerados votos válidos. Esses votos são desprezados no cálculo dos resultados. No sistema majoritário (escolha de presidente, governador e senadores), são eleitos os candidatos que recebem o maior número de votos válidos (descontando-se os nulos e em branco). No sistema proporcional, o cálculo do quociente eleitoral também despreza os votos brancos e nulos.

Ao votar nulo ou em branco, o eleitor simplesmente indica que prefere não escolher nenhum dos candidatos.

Segundo turno

Haverá segundo turno em todos os estados brasileiros, se o candidato a presidente da República mais votado não obtiver 50% + 1 dos votos válidos. A mesma regra vale para a eleição de governadores. O segundo turno das eleições 2018 está marcado para o dia 28 de outubro.

 

Fonte: Alesc

%d blogueiros gostam disto: