Alckmin e Ciro a serviço do PT

Os presidenciáveis Geraldo Alckmin, do PSDB, e Ciro Gomes, do PDT, estão voltando suas metralhadoras giratórias na direção de Jair Bolsonaro, que lidera as pesquisas de intenção de voto. A artilharia mais pesada parte do tucano, mas o pedetista também dá suas estocadas.

Nessa toada, os dois estão prestando, ainda que indiretamente, um grande serviço ao PT. Ao descontruir o candidato do PSL, a dupla Alckmin-Ciro não cresceu. Seguem estagnados nos mesmos patamares e até decaindo, conforme a pesquisa de ocasião. Enquanto os dois patinam, o petista Fernando Haddad cresce, nadando de braçada.

Nesta reta final, assim como podem migrar votos de Marina Silva, do próprio Ciro e de Guilherme Boulos para Haddad, na linha do voto útil; também pode haver uma desidratação geral em Henrique Meirelles, João Amoêdo, Álvaro Dias, o próprio Alckmin e entre parte do eleitorado de Ciro Gomes, que não tem só voto de esquerda. Cresce a possibilidade de ficarmos diante de uma eleição absolutamente polarizada já no primeiro turno.

Bolsonaro na TV

A possibilidade de primeiro turno não é provável, mas não é impossível. Vai depender da capacidade de cada um explorar o chamado voto útil. Outro ponto importante. Bolsonaro tem 7 segundos no rádio e na TV. Alckmin tem mais de 5 minutos diários e Haddad também tem bom espaço eletrônico. Só que no segundo turno, a coisa muda. Os dois candidatos terão o mesmo tempo de propaganda.

Contra ataque

Será praticamente a estreia de Jair Bolsonaro nas ondas do rádio e nas telinhas Brasil afora. E aí ele terá tempo para mostrar as vulnerabilidades de Lula da Silva, de Fernando Haddad, do PT; do PDT, do PSDB e por aí vai.  Tudo num clima de altíssimo grau plebiscitário.

Dreveck na Capital

Deputado estadual Silvio Dreveck, presidente da Assembleia Legislativa e presidente estadual do PP, coloca o bloco na rua nesta terça-feira. Candidato à reeleição, o progressista vai mostrar força política. Os quatro integrantes da chapa majoritária Aqui é Trabalho, Gelson Merisio, João Paulo Kleinübing, Esperidião Amin e Raimundo Colombo confirmaram presença.

Pedrão sinaliza

Destaque, ainda, para a presença do vereador florianopolitano Pedro Silvestre, o Pedrão, o mais votado da história da Capital. O jovem líder vai abrir voto em Dreveck. Ou seja, ele não está com João Amin, também deputado estadual e candidato à reeleição. Mas com base em Florianópolis. A leitura é cristalina: ao optar por Dreveck, Pedrão coloca a cabeça para fora para disputar a próxima eleição de prefeito. Em 2016, ele apoiou Angela Amin, que perdeu por muito pouco para Gean Loureiro (MDB).

PDT enquadra

O Diretório Nacional do PDT encaminhou para o Conselho de Ética a determinação de abertura de processo disciplinar para investigar os vereadores Vanderlei Peters e Marcos Ari Kroll, de Mafra (SC), e Charles da Cunha, de São Pedro de Alcântara (SC), que poderão ser expulsos e perder os respectivos mandatos eletivos.

Infidelidade

O órgão pedetista promoverá a análise, discussão e votação de parecer referente a conduta dos parlamentares em função de infidelidade partidária e descumprimento das determinações das convenções nacional e estadual aprovadas neste ano. Posteriormente, o documento também será avaliado pelos membros do diretório.

%d blogueiros gostam disto: