PT insiste em Lula

O juiz auxiliar Antônio do Amaral e Silva determinou a busca e apreensão do material ilegal de campanha que os candidatos Ana Paula Lima e Cláudio Vignatti, que disputam a Câmara Federal pelo PT, estavam distribuindo com Lula da Silva como o nome do partido para presidente.

O diretório estadual do PT também foi notificado. O magistrado acolheu representação impetrada pelo Ministério Público Eleitoral.

Como se sabe, o ex-presidente teve o pedido de registro de candidatura negado pela Justiça Eleitoral. Condenado em segunda instância e preso, Lula da Silva está inelegível.

O juiz Amaral e Silva determinou, ainda, que todos os juízes eleitorais do Estado sejam comunicados da decisão, bem como o Centro de Distribuição dos Correios em São José. No despacho, o magistrado ressalta que este tipo de propaganda afronta decisões do TSE e pode constituir crime eleitoral, já que a candidatura de Lula não existe.

Sucessor

Nesta reta final da campanha, o prefeito de Tubarão, Joares Ponticelli (Progressistas), tem “pegado junto” com o seu candidato a deputado estadual, Pepê Collaço. Sempre que pode, o ex-deputado acompanha Pepê nos compromissos.

Bateras

Domingo, os dois assistiram juntos à segunda edição do Tubateras (apresentação de mais de 250 bateristas em conjunto) e nesta terça-feira visitaram o Mercado do Produtor de Tubarão, onde pediram votos e foram muito bem recebidos pelos eleitores. Presidente da Câmara de Vereadores de Tubarão licenciado, Pepê tem tudo para fazer uma grande votação e recuperar a representatividade política de sua região.

Guerra

Enquanto Jorginho Mello e Paulo Bauer se digladiam, numa guerra eleitoral que já veio para a luz do dia na corrida ao Senado, na outra coligação, os dois ex-governadores, Raimundo Colombo e Esperidião Amin, pedem votos um para o outro. Inclusive nos programas de rádio e TV. A estratégia é garantir as duas vagas para a coligação, enfraquecendo os adversários que guerreiam entre si.

História ensina

Se der certo, quem ganha musculatura é Gelson Merisio. Em caso de segundo turno. Basta lembrarmos de 2002. Naquele ano, Luiz Henrique da Silveira conquistou a vaga no segundo turno suplantando por pouco o PT. Mas na etapa final, LHS foi respaldado pelos dois senadores eleitos: Leonel Pavan e Ideli Salvatti. Do outro lado, Esperidião Amin estava literalmente sozinho. Resultado, o progressista perdeu a eleição.

Fato

O pleito deste ano já entrou para a história como a eleição da traição.

Não que nos pleitos passados a prática não fosse até corriqueira em alguns momentos. Mas em 2018, a traição está quase virando regra!

Animação

A onda Bolsonaro em Santa Catarina está animando ainda mais os candidatos do PSL no Estado. Especialmente os da majoritária, comandante Moisés, postulante ao governo do Estado, e Lucas Esmeraldino, que disputa o Senado.

Bastidores

Nos últimos dias, com a disparada de Jair Bolsonaro em Santa Catarina, os dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas ao governo, Mauro Mariani e Gelson Merisio, atuam nos bastidores para se encaixar na onda do presidenciável do PSL.

O pessedista quase anunciou o apoio a Bolsonaro nesta semana, mas puxou o freio de arrumação, pois tem candidatos a presidente e a vice entre seus partidos aliados.

Tucanos

Pelos lados de Mauro Mariani, quem pode puxar o movimento, a exemplo do que já fez Luciano Buligon em favor de Merisio, é Napoleão Bernardes. Resta saber como os tucanos, a começar por Geraldo Alckmin, vão reagir se isso realmente acontecer.

%d blogueiros gostam disto: