Acomodações de véspera

O isolamento político do PT, que novamente disputa as eleições em Santa Catarina de chapa pura, pode estar rumando para o isolamento eleitoral. A partir desta segunda-feira, estarão faltando seis dias para o primeiro turno.

Na semana que passou, registraram-se movimentos importantes no tabuleiro que podem sinalizar nesta direção.

A partir do anúncio de Gelson Merisio, declarando voto e apoio a Jair Bolsonaro, lideranças do PT já deixaram muito claro que se fecharam as portas para qualquer entendimento com o candidato do PSD ao governo do Estado.

Embretado neste contexto presidencial depois da tacada de Merisio, Mauro Mariani ratificou que seu voto será no correligionário Henrique Meirelles. Enquanto a postura de Merisio foi arriscada, a de Mariani, conservadora. O emedebista tem os tucanos na chapa como parceiros preferenciais. O candidato do PSDB a presidente, contudo, derrete nas pesquisas e na popularidade, perdendo qualquer atrativo para postulantes aos governos estaduais.

Isolamento do PT

Ocorre que em Santa Catarina, se o segundo turno for entre Merisio (Bolsonaro) e Mariani (Meirelles e PSDB), os petistas podem acabar optando pela neutralidade. Além de ter os tucanos como aliados, o MDB de Mariani passou a ser odiado pelos petistas após o impeachment de Dilma. A conferir se os líderes do PT estadual estariam dispostos a passar por cima da deposição da ex-presidente e a engolir os tucanos aqui no Estado!

Eleições na OAB

Dois eventos políticos marcaram as últimas horas na OAB/SC: o lançamento de um livro em comemoração ao aniversário de 70 anos da CAASC, no Lira Tênis Clube, quinta-feira à noite, realizado pelo presidente da Caixa, Marcus Antônio Luiz da Silva, no qual ficou configurado o lançamento de sua pré-candidatura à presidência da Ordem. E o almoço que o Tesoureiro da Seccional, Rafael Horn, realizou nesta sexta-feira no restaurante Lindacap, com lideranças do Estado que apoiam a sua pré-candidatura ao cargo.

Perfis

Os atos de lançamento sinalizam a diferença de perfil de cada um dos pré-candidatos: o presidente da CAASC realizou o evento no Lira com recursos da instituição, oriundos da anuidade paga pela advocacia, com centenas de convidados para um luxuoso jantar. No Lindacap, um evento com público ainda maior, mas custeado por adesão dos presentes, sem investimento de recursos da Seccional e com mobilização realizada pela própria advocacia por intermédio das redes sociais, que reuniu cerca de mil advogados.

Carreira política

Na sua carreira política, o atual presidente da CAASC já foi vereador, candidato a prefeito, a deputado federal, a desembargador pelo quinto constitucional, é ex-Conselheiro Federal, ex-Conselheiro Estadual da OAB/SC e ex-presidente da OAB de Brusque. Rafael Horn foi presidente do Conselho de Administração do SICOOB Advocacia, é ex-Conselheiro Federal da Ordem, ex-Secretário-geral e ex-presidente da Comissão de Moralidade Pública da OAB/SC, onde é o atual Tesoureiro.

Técnico e político

Um com atuação mais ligada à política partidária, e outro com perfil técnico e executivo. Em novembro ocorrerá as eleições, quando os advogados catarinenses optarão por um dos estilos de gestão. Horn tem a advogada Claudia Prudencio como pré-candidata à Caixa de Assistência.

%d blogueiros gostam disto: