Onda PSL

Impressionante a onda Jair Bolsonaro. Notadamente em SC, onde, até o fechamento desta edição, ele estava com 65,88% dos votos válidos, mais 50% de dianteira do que o segundo colocado.

Essa onda também trouxe reflexos fenomenais para a disputa estadual, conforme este espaço já vinha sinalizando na reta final da campanha. Comandante Moisés, que só foi homologado candidato do PSL em Santa Catarina no prazo fatal para o registro das candidaturas, carimbou o passaporte para o segundo turno e já é um fenômeno político que entra para a história estadual.

Assim como o jovem Lucas Esmeraldino, que disputou a segunda vaga ao Senado até o último voto com Jorginho Mello. Moisés e Lucas foram ungidos por Bolsonaro e apesar de outras candidaturas tentarem surfar na onda do presidenciável do partido, eles souberam canalizar o sentimento de mudança. Sobretudo nas redes sociais. O desempenho é ainda mais fenomenal pelo fato de o PSL só ter 7 segundos diários de tempo de TV! Definitivamente, comunicação político-eleitoral se faz pelas redes sociais.

No Legislativo

Dos 16 deputados federais que representam Santa Catarina em Brasília, três dos 16 mais votados nominalmente são do PSL. Na Assembleia, em princípio a legenda também surpreendeu nas votações nominais de seus candidatos. A conferir quantas cadeiras vai garantir pela votação das coligações e partidos.

Decepção

O MDB, com toda a sua força em Santa Catarina, foi surpreendido pelo comandante Moisés. Mauro Mariani ficou fora do segundo turno, mas acabou elegendo um senador na coligação, Jorginho Mello, do PR.

Quem também decepcionou e ficou pela estrada foi o ex-governador Raimundo Colombo, suplantado por Mello.

Família

Esperidião Amin confirmou o favoritismo e volta ao Senado. A esposa Angela foi eleita deputada federal e também retorna ao Congresso, e o filho, João, foi reeleito deputado estadual. O clã se fortalece.

Pêndulo

Resta saber agora para onde vai o MDB de Santa Catarina no segundo turno. Vai liberar geral? Ou vai decidir pelo apoio formal ao Comandante Moisés? Uma parte do partido já estava com Jair Bolsonaro e é de se supor que aumente esta fatia no segundo turno. Tanto em apoio ao presidenciável como aqui no Estado. Se o MDB fechar ou se boa parte da legenda apoiar o Comandante Moisés, as chances dele de vencer o pleito estadual ficam ainda maiores.

Consolidado

Agora, também é preciso reconhecer a força de Gelson Merisio. Depois de suplantar inúmeros obstáculos, inclusive grandes resistências no seu próprio partido, o pessedista vence o primeiro round e chega forte ao segundo turno. Terá a companhia do senador eleito Esperidião Amin e pode canalizar apoios importantes também, sobretudo no PSDB.

Tacada

Gelson Merisio acertou em cheio ao declarar voto a Jair Bolsonaro faltando 10 dias para as eleições. Também por isso, ele carimbou o passaporte para o segundo turno. Justamente contra o candidato do PSL em Santa Catarina.

Segundo turno

Até um determinado momento da apuração, Jair Bolsonaro encaminhava para levar a eleição presidencial no primeiro turno. Não ocorreu porque o preposto de Lula da Silva, Fernando Haddad, parou de cair e porque Ciro Gomes também se consolidou na terceira posição.

Desenha-se o cenário nacional assim: Jair Bolsonaro e aqueles a favor da Lava Jato contra a turma que deseja enterrar a operação, liderados por PT, MDB, PSDB, PP, PR e por aí vai. Tem tudo para ser um segundo turno acirrado, com leve favoritismo para Bolsonaro.

Fiasco

Novamente, as pesquisas eleitorais deixaram muitos furos. Mais uma vez quebraram a cara. É algo que precisa ser revisto, com urgência, nesse país. Chega de manipulação!

%d blogueiros gostam disto: