Cuidado com o que você fala

Há algum tempo venho ouvindo as crianças e pré-adolescentes falarem assuntos que não são pertinentes a eles e sim aos adultos. Durante as aulas, os alunos estão envolvidos com o conteúdo mas, no meio da atividade falam em política, novelas, programas de TV que passam bem tarde para a idade deles. Fazem perguntas que os adultos sabem o real significado e não eles. Aqui cabe a pergunta, o que você fala com os adultos pode ser falado pelas crianças e pré-adolescentes também?

Nossas crianças já estão sendo bombardeadas por vários tipos de informações e acredito que de certa forma devíamos poupá-las.

Dias atrás um aluno de 5 anos de idade me perguntou, professora, você vai votar em determinado candidato? Sorri e disse que ainda estava pensando para quem eu iria votar e imediatamente ele respondeu: – na minha casa, meu pai e minha mãe vão…

Este foi somente um exemplo das coisas que ouvimos na escola; acredito sinceramente que alguns assuntos, programas de TV deveriam ser proibidos para as crianças. O entendimento das crianças é somente o que ela ouve, não tem como fazer escolhas baseadas em argumentos como os adultos. Tudo tem seu tempo e as crianças agora, precisam brincar e não imitar os adultos. Procure deixar as discussões e opiniões entre os adultos.

Quanto aos programas e novelas, os mesmos possuem um vocabulário não indicado para as crianças, bem como cenas impróprias para a idade, assim selecionar o que mostramos para nossas crianças é uma forma de preservar a integridade delas.

Assistir aos programas selecionados junto com nossos filhos também é uma forma de prepará-los para a vida lá fora, hoje estamos presentes em todos os momentos, mas chegará o momento em que precisarão trilhar o caminho sozinhos, mas para isso precisamos mostrar situações e possíveis soluções para que consigam atravessar transpondo os obstáculos que aparecerem e certamente vão aparecer.

O mundo fora das paredes de nossas casas é bem diferente e não tem o carinho e aconchego de nossos pais. Parem para pensar o quando podemos preservar a vida de nossos filhos falando com eles sobre assuntos dedicados a faixa etária a que pertencem. Cuidado com o que você fala.

 

%d blogueiros gostam disto: