SC emite alerta sobre vacinação contra febre amarela

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC), vinculada à Superintendência de Vigilância em Saúde da Secretaria de Estado da Saúde (SUV/SES), emitiu um alerta na tarde de quinta-feira  (31) reforçando a importância da vacinação contra a febre amarela.

O pedido orienta as equipes regionais e municipais de saúde a intensificarem as ações de vigilância da doença. Além disso, o alerta também ressalta que todos os moradores do Estado, com idade superior a 9 meses de idade, devem procurar um posto de saúde para tomar a vacina contra a doença. Idosos com mais de 60 anos devem procurar orientação médica.

A preocupação se dá por que na última terça-feira (29), a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa) confirmou o primeiro caso de febre amarela no Estado. Um jovem, de 21 anos, que não havia tomado a vacina, contraiu a doença. Antes disso, as autoridades locais já haviam notificado a morte de dois macacos pelo vírus da febre amarela. Os animais foram encontrados em Antonina, no litoral do Paraná.

A chance é de que, como já está circulando no Estado vizinho, o vírus pode chegar até Santa Catarina, explica o gerente de zoonoses da DIVE/SC, João Fuck.

Desde o segundo semestre de 2018, após recomendação do Ministério da Saúde (MS), toda Santa Catarina tornou-se Área com Recomendação de Vacinação (ACRV) para febre amarela, antes apenas 162 municípios já integravam a área. Com a ampliação, os moradores de todos os 295 municípios catarinenses precisam estar imunizados contra a doença, que pode matar.

A vacinação contra a febre amarela ainda está abaixo do esperado em Santa Catarina. Desde setembro do ano passado, quando foi iniciada a ampliação da vacinação no Estado, até o dia 15 de janeiro deste ano, apenas 10,6% da população catarinense que deveria se vacinar procurou os postos de saúde. Nas quatro primeiras etapas de ampliação, 216.905 pessoas das 2.046.324 que deveriam tomar a vacina foram imunizadas.

Fonte: NSC

 

%d blogueiros gostam disto: