fbpx

ALERTA: Videira registra dois casos de dengue

A Vigilância Epidemiológica de Videira registrou durante o mês de maio dois casos de dengue no município. Em ambos, a doença não foi contraída no município, porém toda a investigação clínica e assistência médica foi prestada aos pacientes, que se recuperam da doença.

Transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti, a Dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus e que, caso não seja tratada, pode levar à morte.

De acordo com a enfermeira da Secretária de Saúde, Ana Paula Palmeira, assim que constatada a suspeita dos casos, os pacientes foram submetidos a exames que confirmaram a presença do vírus.

Para evitar a ocorrência de novos casos e para saber se a contaminação ocorreu no município, foi realizada uma investigação epidemiológica, que monitora os locais em que a pessoa esteve, bem como realiza uma varredura nas imediações das residências, neste caso, sem que os focos do mosquito fossem localizados.

A enfermeira explica ainda que é importante que as pessoas estejam atentas aos sintomas da doença, que podem ser confundidos com os da gripe.

“Além da dor no corpo, da febre alta e do cansaço, um sinal característico da dengue é a dor atrás dos olhos. Em caso de suspeita, é preciso procurar imediatamente uma unidade básica de saúde, para exames e tratamento”, alerta.

Ana relata ainda que, na semana passada, foi localizado em Videira um foco do mosquito em uma das armadilhas espalhadas pelos bairros e interior. Apesar de ser um local isolado, para que não ocorra risco de proliferação, foi realizado rastreamento e varredura nas áreas próximas, eliminando possíveis focos.

Videira nunca registrou casos da doença adquiridos no município. A Secretária de Saúde realiza campanhas constantemente, a fim de orientar a população sobre os cuidados necessários para evitar que o mosquito transmissor se prolifere. Mas para que o município continue livre da doença, a contribuição da população é fundamental.

“A maioria dos focos é encontrada em ambientes domésticos. Evitar os focos é melhor maneira de prevenir”, completa.

Dengue em SC

Santa Catarina tem 87 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti. Foram identificados 17.568 focos do mosquito em 181 municípios. Já são 710 casos de dengue confirmados (609 são autóctones – transmissão dentro do estado, e 56 casos são importados – transmissão fora do estado). Em comparação com o último boletim, divulgado na semana passada, houve a confirmação de 124 casos autóctones e 7 casos importados.

Para João Fuck, gerente de Zoonoses da DIVE/SC, apesar do maior número de casos de dengue terem sido confirmados no mês de abril, é necessário reforçar os cuidados, mesmo com a temperatura mais baixa.

“Isso mostra que é importante as pessoas continuarem a limpar seus terrenos pelo menos uma vez por semana. Que não esqueçam de conferir se a caixa d’água está fechada. Todos os lugares que podem acumular água devem ser inspecionados. Só controlando o mosquito Aedes aegypti é que conseguimos evitar a transmissão de dengue, zika e chikungunya”, finaliza.

Dicas para evitar a dengue

– Não deixe água parada, destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve;

– Deixe sempre bem tampados e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros;

– Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho;

– Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo;

– Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto;

– Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechado. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana;

– Mantenha sempre limpo: lagos, cascatas e espelhos d’água decorativos. Crie peixes nesses locais, eles se alimentam das larvas dos mosquitos;

– Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos; – Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças.

%d blogueiros gostam disto: