fbpx

A era das soft skills: conheça dez competências para se dar bem no mercado de trabalho

Segundo especialistas, habilidades como criatividade e pensamento crítico estarão entre as mais valorizadas no futuro

É para ontem: relatório recente do Fórum Econômico Mundial indica que as soft skills serão imprescindíveis já em 2020

Pensamento crítico, criatividade e inteligência emocional. Essas são algumas das competências que todo profissional vai precisar ter até 2020, segundo o relatório do Fórum Econômico Mundial, divulgado no início de 2019. Ou seja, você só tem um ano para se desenvolver nessas áreas. Então, comece já a usar o jargão do momento: soft skills. Essas características são as que vão nos diferenciar dos robôs, garantindo nossa empregabilidade mesmo com o avanço da automação.

A consultora Sandra Gioffi, da Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH), explica que essas habilidades também são chamadas de competências transversais.

Sandra Gioffi, consultora da ABRH, destaca a importância da empatia e da adaptabilidade

“As soft skills são habilidades de relacionamento, adaptabilidade, empatia, colaboração e reinvenção. É o olho no olho, aquilo que nos torna, de fato, humanos” SANDRA GIOFFI, DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS HUMANOS (ABRH)

Confira se você é mestre nas dez competências listadas pelo relatório do Fórum Econômico Mundial:

  • Pensamento crítico
  • Criatividade
  • Gestão de pessoas
  • Resolução de problemas complexos
  • Coordenação
  • Inteligência emocional
  • Capacidade de julgamento e tomada de decisões
  • Orientação para servir
  • Negociação
  • Flexibilidade cognitiva

Deu certo? Ótimo, porque Ricardo Sales, da consultoria Mais Diversidade, revela que as empresas têm usado as soft skills como critério na hora de realizar contratações. “No século 19, éramos contratados pelos nossos braços. No século 20, pelo nosso cérebro. No 21, seremos contratados pelo coração.”

Não existe qualificação formal para as soft skills, lembra Sandra, consultora da ABRH: é preciso desenvolver essas habilidades no dia a dia.

“Para você desenvolver empatia não precisa fazer Harvard, Stanford ou MIT. Apenas precisa aprender a fazer coisas simples, como aprender a dançar em dupla, tocar instrumentos e observar as pessoas, ou seja, ser humano.”SANDRA GIOFFI, DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RECURSOS HUMANOS (ABRH)

As soft skills são tão importantes que até foi criado um cargo de gestão para quem sabe se relacionar e lidar com as diferenças. É o gestor de diversidade, profissional que é responsável por atrair funcionários com perfis diversos para as empresas e garantir a conscientização da equipe.  Luciana Campos ocupa esse cargo no Itaú Unibanco e explica que não basta ter uma equipe diversa, é importante também garantir a inclusão.

Luciana Campos, gestora de Diversidade e Inclusão do Itaú, diz que é preciso ir além dos números quando se fala em inclusão

Fonte: Estadão

%d blogueiros gostam disto: