fbpx
Ultimas Notícias

Bombeiros dão dicas para evitar acidentes no verão

O verão começa oficialmente no domingo (22). A estação mais quente do ano requere cuidados especiais para evitar acidentes. O Corpo de Bombeiros repassa algumas informações para evitar acidentes e curtir a estação.

Ambiente aquático

Fique atento. Todo o ambiente aquático requer cuidados para se evitar afogamentos. O Litoral de Santa Catarina conta com mais de 450 quilômetros de extensão e centenas de praias excepcionais para o banho. Também são inúmeros os recantos convidativos – rios, lagos, lagoas, cachoeiras e barragens – para momentos de lazer e diversão no interior do Estado. As recomendações do CBMSC para diminuir os riscos de afogamentos nestes ambientes:

– Procure preferencialmente locais com o serviço de Guarda-vidas

– Não superestime sua capacidade de nadar. Avalie as consequências de um possível incidente;

– Em água doce ou salgada, prefira banhar-se em locais rasos e sem correnteza;

– Se notar que está sendo arrastado por uma dessas correntes, mantenha-se calmo e tente acenar ou gritar por socorro enquanto nada transversalmente (para o lado, em vez de para o raso);

– Não tente salvar pessoas vítimas de afogamento sem estar habilitado. Neste caso, lance algum objeto que a ajude a vítima a flutuar e acione guarda-vidas ou a emergência pelo telefone 193;

– Crianças exigem cuidado redobrado. Não as perca de vista;

– Sempre que possível, opte pelo uso do colete salva-vidas ao invés de objetos flutuantes;

– Nunca nade após ingerir bebidas alcoólicas, alimentos ou se estiver passando mal ou com frio;

– Evite aproximar-se de costões. Ao caminhar sobre as pedras destes ambientes, observe antes se uma onda não poderá atingi-lo e jogá-lo no mar;

– Antes de mergulhar, certifique-se da profundidade. Um acidente pode provocar sequelas irreversíveis.

Em local monitorado

– Para maior segurança, banhe-se num raio de 200m do posto de guarda-vidas;

– Atente para a sinalização de praia. Observe a bandeira fixada no posto dos guarda vidas:

• Vermelha: risco elevado de afogamentos

• Amarela: risco médio de afogamentos

• Verde: risco baixo de afogamentos

– As bandeiras vermelhas na FAIXA DE AREIA indicam as correntes de retorno. Evite estes pontos.

– Sempre acate as orientações dos guarda-vidas.

No ambiente doméstico

No Brasil, estima-se que ao menos 7 mil pessoas são vítimas de afogamento a cada ano. Parte destes óbitos ocorre em ambiente residencial e envolve crianças pequenas. Veja algumas recomendações para diminuir o risco deste tipo de ocorrência:

– Mantenha portas de áreas de serviço e banheiros fechadas;

– Guarde recipientes como baldes e bacias de cabeça para baixo;

– Instale redes de proteção no entorno de piscinas;

– Evite o uso de boias ou flutuadores, prefira um colete salva-vidas;

– Não mantenha brinquedos próximos a piscina. Isto atrai crianças;

– Jamais deixe uma criança sozinha na piscina;

– Após utilizar a piscina, impeça o acesso ao espaço;

Animais peçonhentos

Acidentes com animais venenosos – cobras, aranhas, escorpiões e outros – podem provocar ferimentos e até a morte em casos mais graves. Todos estamos sujeitos a estas situações, especialmente crianças e idosos. Veja algumas dicas de prevenção.

– Evite o acúmulo de lixo e entulho

– Mantenha jardins e terrenos baldios limpos

– Apare o gramado e recolha folhas caídas

– Coloque lixo em sacos plásticos e feche-o corretamente

– Vede aberturas da casa que podem facilitar o acesso dos animais, como soleiras de portas e ralos

– Examine roupas, calçados, toalhas e roupas de cama antes de usá-las

– Evite andar descalço

– Use luvas de proteção ao trabalhar com materiais estocados (ex: lenha)

Primeiros Socorros

Em caso de acidente com animais peçonhentos, siga as orientações do CBMSC e procure auxílio médico imediato.

– Lave o local com água e sabão

– Mantenha a vítima em repouso absoluto (não a faça caminhar, correr, etc)

– Remova anéis, pulseiras, braceletes e outros adornos

– Se a vítima estiver consciente, ofereça água para ela beber

– Eleve o local afetado

– Se possível, leve o animal para identificação (mesmo morto)

– Assim que possível ligue para o Centro de Informações Toxicológicas

– Leve a vítima ao pronto-socorro imediatamente

Não faça

– Não amarre o membro ou faça torniquete

– Não corte o local da picada

– Não chupe o local da picada

– Não coloque substâncias no local da picada

Em caso de dúvida, entre em contato com o Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina. Atendimento: 0800 643 52 52

Telefones: (48) 3721.9535/ 3721.9173

Fogos de artifício

Conforme dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia da Mão (SBCM), uma a cada 10 pessoas que se acidentam em virtude do uso de fogos de artifício acaba tendo membros amputados (especialmente dedos). O dado comprova o perigo da atividade e justifica a orientação do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC), que desaconselha a queima de fogos de artifícios pela população em geral. Além dos casos de amputação, são comuns ocorrências envolvendo queimaduras graves e lacerações nas mãos, braços e rosto.

Recomendações do CBMSC:

– Deixe os fogos de artifício para os profissionais. A maneira mais segura de aproveitar os fogos é assistir a uma queima pública, conduzida por pessoas treinadas.

– Pessoas leigas e, principalmente, as crianças nunca devem tocar ou recolher, depois de qualquer apresentação os fogos que restarem. Estes ainda podem estar ativos.

Caso apesar da advertência você ainda insista em utilizar fogos de artifício, leia algumas instruções de segurança:

– Lembre-se: é uma atividade de risco. A possibilidade de um acidente grave existe e você está se submetendo a ela por vontade própria

– Use SOMENTE produtos de qualidade reconhecida e siga EXATAMENTE as instruções do fabricante que constam na embalagem. Se estas informações não estiverem claras, há indícios do produto ser clandestino – o que aumenta o risco de acidente.

– Não manuseie após ingerir bebidas alcoólicas e, se possível, não permita que alguém nessas condições o faça.

– Não solte fogos em lugares fechados, perto de hospitais, sob copas de árvores ou na proximidade das linhas de transmissão de energia elétrica. Prefira locais amplos, longe de edificações e vegetação.

– A distância para explodir os fogos com segurança é de, no mínimo, 30 a 50 metros. Mantenha as pessoas afastadas

– Não aponte para ambiente com pessoas

– Mantenha fora do alcance de crianças

– Se os fogos não estourarem, não tentar reaproveitá-los

– Mantenha um recipiente com água próximo do local para o caso de uma emergência

– Quando mais pólvora, maior é a periculosidade e potência do artefato. Atente para esta condição quando for armazenar ou manuseá-lo. E, por último, antes de ignorar quaisquer das orientações acima, pense nas consequências de um acidente para você e as pessoas que estima.

Lembrando que para eventos pirotécnicos, o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina tem editado uma Instrução Normativa (IN 027/DAT/CBMSC) com foco na prevenção destes espetáculos.

%d blogueiros gostam disto: