fbpx

Mais de 7 mil toneladas de uva serão colhidas em Videira neste ano

A colheita da uva, principal produto da fruticultura em Videira, está a todo vapor. A perspectiva é que sejam colhidas mais de 7 mil toneladas da fruta na Capital Catarinense da Uva e do Espumante neste ano, o que corresponde a 17,5% do total previsto para a região Meio-Oeste, que é de 40 mil toneladas. Além disso, a colheita da uva atrai muitos turistas nesta época. Algumas propriedades recebem os visitantes, oportunizando a experiência da colheita e do contato com a parreira.

De acordo com o secretário adjunto da Agricultura e Meio Ambiente, João Leandro Locatelli Antunes, o município possui 400 hectares de parreira e 191 produtores. Ele cita que nos últimos dois anos, foi registrado um incremento de 5% nos parreirais, em virtude de incentivo da Prefeitura através do programa de apoio à vitivinicultura e ainda ao investimento dos próprios agricultores. Em relação à safra de 2020, que segue até março, a perspectiva é bastante positiva. “Tudo está correndo dentro do esperado para termos uma safra muito boa. Foram registrados problemas pontuais de estiagem, mas de uma forma geral estamos otimistas quanto aos resultados em 2020”.

Um dos agricultores que investe no plantio de uva no município é Maikon Ascari. O apreço pelo cultivo da fruta foi herdado do avô materno, Primo Censi, e há cerca de 15 anos, ainda na adolescência, juntamente com o pai, Justino Luiz Ascari, iniciou o plantio das primeiras videiras. Desde então, a uva se tornou uma das principais fontes de renda da família que cultiva as variedades Izabel Precoce, Bordo, Niágara Branca e Niágara Rosada. Em dois hectares de parreira a família já chegou a colher 52 toneladas em uma única safra e para ampliar a produção, foram plantadas mais sete mil mudas de videira.

Ele comenta que quem vive do plantio depende muito do clima e isso gera uma incerteza muito grande a cada safra, porém é uma grande satisfação acompanhar cada etapa do processo de produção. “Tenho muito orgulho do meu trabalho e não troco o interior e o plantio da uva por nada. Muito do que eu e minha família conquistamos foi fruto do empenho e dedicação ao cultivo desta fruta. A uva faz parte da minha história, da história da minha família, além de ser uma marca registrada do nosso município”, completa.

Fonte: PMV

%d blogueiros gostam disto: