fbpx
Ultimas Notícias

Cocreation Lab quer se tornar o maior laboratório de pré-incubação de ideias da América Latina

Ambientes colaborativos e que estimulam a criatividade, acesso a mentorias, palestras, workshops e networking para transformarem ideias em negócios.

Criado em 2016 como um projeto de pesquisa do Laboratório de Design da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), o Cocreation Lab, uma pré-incubadora de ideias, almeja englobar ao menos 400 projetos em 2020 e se tornar o maior laboratório de pré-incubação de ideias da América Latina.

Para isso, recentemente abriram inscrições em 15 cidades do estado.

Em entrevista exclusiva ao Economia SC, Luiz Salomão Ribas Gomez, idelizador do Cocreation Lab, destaca alguns projetos que já passaram pelo programa, expectativas para 2020 e o cenário da economia criativa no estado.

Desde 2016, quando foi criado, mais de 100 projetos já passaram pelo Cocreation Lab, pode exemplificar alguns que já tiveram suas ideias validadas?

Luiz Salomão Ribas Gomez: Dos projetos que passaram, podemos mencionar o Guia Manezinho, que desenvolveu uma metodologia de “walking tour” diferenciada, onde o valor da marca/guia faz a diferença na monetização do empreendimento, o Projeto Releituras, que está se colocando no mercado como uma plataforma de apoio ao aprendizado de pessoas com necessidades especiais e o Conexão Solar, que criou um marketplace para facilitar a decisão de consumidores sobre o uso e como implantar energia fotovoltaica em sua residência/empresa.

Por que decidiram focar na economia criativa? Como esse movimento tem se desenvolvido no estado?

Luiz Salomão Ribas Gomez: A economia criativa vêm crescendo no mundo inteiro, porque exige menor investimento em construção de fábricas e máquinas, além de se concentrar no uso da capacidade do empreendedor em resolver problemas. Quando iniciamos o Cocreation Lab, optamos por colocar o primeiro laboratório no Centro Histórico de Florianópolis, onde a economia criativa é emergente, tem apoio de atividades culturais e espaços para implantação de estúdios criativos, não por ter indústrias ou grandes áreas comerciais. Estão nascendo polos de economia criativa por todo o estado, fomentados pelo poder público e associações empresariais que veem uma grande oportunidade de geração de emprego e renda para a sociedade.

São quinze cidades contempladas na edição deste ano, quantas ideias pretendem incubar?

Luiz Salomão Ribas Gomez: Essas 15 cidades são as que fazem parte do Programa Nascer, que é uma iniciativa da Fapesc e do Sebrae para apoiar na implantação de pré-incubadoras com a metodologia TXM Business, do Cocreation Lab. Além disso, o Cocreation Lab tem outros financiadores que apoiam mais alguns laboratórios em outras cidades do estado, como a Prefeitura de São José. Em 2020, pretendemos apoiar mais 400 projetos em fase de ideação, envolvendo mais de 1.500 criativos por todo o estado e outras regiões do país.

Qual a necessidade de uma pré-incubadora de ideias? É fácil ou difícil empreender em Santa Catarina?

Luiz Salomão Ribas Gomez: A pré-incubadora fortalece o processo de ideação de novos empreendimentos inovadores, ajudando a tirar a ideia da cabeça e colocá-la no papel. Esse processo dá mais clareza sobre o negócio e qual caminho tomar para que a ideia tenha sucesso comercial. Santa Catarina é um estado fértil para essas atividades e vêm se desenvolvendo fortemente, é muito fácil empreender no nosso estado.

Que setores dentro da economia criativa mais tem potencial?

Luiz Salomão Ribas Gomez: A economia criativa tem um leque muito grande de atividades com potencial, mas eu destacaria o Design, o Turismo, as Tecnologias da Informação e Comunicação, as Artes e também projetos educacionais e culturais. São que mais têm obtido sucesso nas turmas do programa.

O que os participantes aprendem?

Luiz Salomão Ribas Gomez: Eles aprendem a colocar sua ideia no papel. O programa dura 5 meses e é híbrido, exigindo dos cocreators (como chamamos os participantes do projeto) o aprendizado em uma plataforma digital que serve como sistema de gestão do projeto, além de um ambiente de ensino online da metodologia TXM Business. Na plataforma e no cotidiano do projeto, eles têm palestras, workshops, e-books, vídeo aulas e exercícios de formação em criatividade, inovação e empreendedorismo. Eles aprendem a montar o plano de negócios desde o DNA do empreendimento até meditação para melhorar a qualidade de vida dos futuros empresários.

Quem são os mentores?

Luiz Salomão Ribas Gomez: São profissionais de mercado, professores universitários e empreendedores de sucesso que contam seus cases para incentivar os novos empreendedores.

Onde querem chegar? Quais os planos para 2020?

Luiz Salomão Ribas Gomez: Queremos apoiar empreendedores no estado, no Brasil e, quem sabe, até em outros países. O Programa Nascer nos deu outra visão sobre as oportunidades que temos de apoiar. Já estamos com projetos de implantação no Distrito Federal e no Espírito Santo, além de diversas cidades catarinenses que também estão querendo ter seu Cocreation Lab. Tivemos também consulta de duas cidades portuguesas sobre a possibilidade de implantarmos a iniciativa. Demos um grande passo em 2019 e agora não dá mais pra retroceder, queremos ser o maior laboratório de pré-incubação de ideias da América Latina (se é que já não somos).

Fonte: Economia SC

%d blogueiros gostam disto: