fbpx
Ultimas Notícias

Coronavírus em SC: clínicas médicas, salões de beleza, veterinários; confira as regras para o retorno ao trabalho

A partir desta segunda-feira está autorizado trabalho destes profissionais, mas com cuidados contra o coronavírus

Salões de beleza podem retornar ao trabalho(Foto: Artur Moser, BD)

A partir desta segunda-feira (6) já podem voltar ao trabalho profissionais liberais como médicos, advogados, veterinários, cabeleireiros e contadores, entre outros, após período de quarentena por causa do novo coronavírus. Uma portaria autorizando a retomada dessas atividades, assinada pelo secretário de Saúde de Santa Catarina, Helton Zeferino, foi publicada neste domingo à tarde, no Diário Oficial.

O governador Carlos Moisés da Silva também anunciou a medida em vídeo. Ele afirmou que decisão foi tomada após ouvir setores produtivos, mas dentro das técnicas recomendadas pelos profissionais da saúde.

– Essa atitude foi tomada de uma forma muito responsável. O Núcleo Econômico do Governo escutou as entidades empresariais para essa liberação, e o regramento foi realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, obedecendo a critérios técnicos – disse o governador.

Moisés ressaltou que, quem puder, é para ficar em casa. Lembrando que outras atividades como comércio, shoppings, bares, restaurantes e transporte público e privado estão proibidos de funcionar, com algumas exceções. Por exemplo, agroindústrias podem fretar transporte. Restaurantes podem trabalhar com serviço de delivery.

Na semana passada o governo liberou a retomada da construção civil. Antes tinha liberado apenas obras públicas. A restrição ao convívio social, chamada de quarentena, também segue valendo, pois o governador prorrogou o decreto até 7 de abril. Esse prazo pode ser prorrogado novamente.

Quem pode voltar nesta segunda-feira

I- Profissionais autônomos/liberais de saúde, tais como médicos, médicos veterinários, fisioterapeutas, odontólogos, biomédicos, enfermeiros, psicólogos, fonoaudiólogos, farmacêuticos, nutricionistas, entre outros;

II- Profissionais autônomos/liberais de interesse da saúde, tais como terapeutas ocupacionais, assistentes sociais, educadores físicos, cabeleireiros, barbeiros, manicures, pedicures, depiladores, massagistas, podólogos, entre outros;

III- Profissionais autônomos/liberais em geral, tais como advogados, contadores, administradores, jardineiros, limpadores de piscina, cozinheiros, faxineiras, empregados domésticos, encanadores, entre outros;

Locais de atendimento

– Podem ser realizadas tanto em domicílio quanto nos estabelecimentos de vinculação dos profissionais, desde que o atendimento seja de forma individual, ficando vedada a realização das atividades em shopping centers, galerias e centros comerciais.

Academias não podem abrir

-Os educadores físicos e terapeutas ocupacionais ficam autorizados a prestar somente atendimentos individualizados voltados à recuperação ou prevenção da saúde, ficando proibidas atividades recreativas individuais ou coletivas e atendimentos em academias.

Cuidados de higienização e atendimento

– O profissional deverá higienizar as mãos antes e ao final das atividades;

– O profissional deverá usar Equipamentos de Proteção Individual (EPI) de acordo com a assistência prestada;

– O cliente deverá ser questionado se apresenta sintomas respiratórios ou se está em quarentena ou isolamento em decorrência do Covid-19 e, em caso positivo, não deverá ser prestado atendimento;

– Os clientes atendidos devem ser orientados a informar ao profissional que o atendeu caso venham a ter resultados positivos para a Covid-19;

-Manter as atividades com os cuidados de higienização das mãos, uso de álcool gel, distanciamento, etiqueta da tosse, limpeza e ventilação dos ambientes;

– Profissionais que executarem atendimentos a clientes que vierem a positivar para os testes de Covid-19 deverão imediatamente parar os atendimentos, informar o fato às autoridades sanitárias do seu município e se manter em quarentena, em conformidade com as orientações destas autoridades.

– Organizar a agenda de modo a ampliar o intervalo entre atendimentos, reduzindo o número de pessoas nestes ambientes;

– Os atendimentos de clientes deverão ser realizados de forma individual, sem acúmulo de pessoas na sala de espera, sendo permitido que permaneça na sala de espera apenas o cliente do horário seguinte, cabendo ao profissional organizar sua agenda conforme tempo médio de atendimento;

– Profissionais da saúde e similares devem organizar a agenda de modo a ampliar o intervalo entre atendimentos, a fim de realizar a higienização dos instrumentos que eventualmente sejam utilizados nestas atividades.

Fonte: NSC

%d blogueiros gostam disto: