fbpx
Ultimas Notícias

Tire suas dúvidas sobre cremação

Depois de um processo que durou aproximadamente dois anos, para atender as exigências da legislação vigente, o crematório do Grupo São Judas Tadeu agora opera oficialmente, com moderna tecnologia e atendimento qualificado.

Mesmo sendo uma técnica milenar, a cremação ainda é vista com certo preconceito por alguns. Cristiane Corso, diretora do Grupo São Judas Tadeu reconhece que no Brasil, ainda se trata de um processo relativamente novo.

Dúvidas frequentes

Jornal Folha — É realizado velório antes da cremação?

Cristiane Grupo São Judas — A pergunta mais recorrente sobre a cremação é se precisa de caixão ou não. A cremação é uma opção para o sepultamento. A pessoa pode ser sepultada ou cremada. O velório é feito normalmente. O corpo é colocado dentro do caixão, com roupa, flores, etc… Depois do velório ele o caixão é levado para o crematório. O processo de cremação demora à 3 horas.

Jornal Folha — O que é feito com as cinzas?

Cristiane Grupo São Judas — As cinzas são entregues aos familiares numa pequena urna. Muitos decidem aspergir no mar ou em algum lugar que fazia sentido para o falecido em vida. Tivemos relatos de atendimentos feitos aqui no Grupo em que as cinzas foram colocadas no jardim ou horta, foram aspergidas na estrada porque o falecido era caminhoneiro e fazia aquele trajeto todo dia. Outras famílias escolhem as urnas biodegradáveis, onde as cinzas são plantadas no solo junto com sementes e servem como adubo para o crescimento da planta. Tem pessoas que optam por urnas mais ornamentadas para deixar dentro de casa ou em oratórios dentro dos jazigos. Temos a opção de fazer diamantes com as cinzas, onde o carbono é extraído e lapido o diamante. Outra opção são os cristais memoriais, que são pequenos broches ou pingentes onde é possível colocar uma quantidade das cinzas. São diversas opções e fica a critério da família qual será a opção escolhida. Caso prefiram, o Grupo também oferece um local para o destino temporário ou final das cinzas.

Jornal Folha — Existem alguns casos em que a cremação não pode ser realizada?

Cristiane Grupo São Judas — Não. Apenas em alguns casos específicos são necessários alguns procedimentos antes da cremação. Por exemplo, nos casos de mortes violentas ou acidentais, que vão para investigação policial, para que o corpo possa ir para cremação é necessário um alvará judicial, indicando que não há impedimentos. Nos casos de pessoas que utilizam marca-passo, o equipamento precisa ser removido antes, pois como tem pilhas elas podem explodir no processo de cremação.

O crematório do Grupo São Judas Tadeu fica na Rua Ângelo Albiero, 123 – Bairro Oficina, em Videira — Santa Catarina. O telefone para contato é (49) 3566–1749. Whatsapp (49) 99981-3205.

Ouça o podcast com a entrevista completa e tire suas dúvidas sobre cremação.

%d blogueiros gostam disto: