fbpx
Ultimas Notícias

Três regiões de Santa Catarina estão com nível “gravíssimo” de risco para Covid-19

Monitoramento avalia desempenho de ações contra o coronavírus por localidade e traz uma série de orientações aos gestores

Santa Catarina tem três regiões em nível “gravíssimo” para a Covid-19.  Segundo o Painel de Avaliação do Risco Potencial do Estado, as regionais  Foz do Rio Itajaí, Xanxerê e Laguna estão em alerta máximo para o coronavírus.

O monitoramento avalia o desempenho de ações contra o novo vírus nas localidades e traz orientações aos gestores das cidades catarinenses. A última atualização do mapa ocorreu na tarde desta quarta-feira (8). 

Das 16 regiões, 11 estão classificadas como como “grave”. Apenas a Serra catarinense e o Oeste do Estado estão pintados em amarelo, com alerta “alto”. Não há regiões com risco moderado. 

O mapeamento é baseado em um modelo teórico criado para conter o avanço do coronavírus no território. A avaliação construída após regionalização das medidas de enfrentamento à pandemia também busca prevenir que o sistema de saúde colapse.

O monitoramento é feito desde 2 de junho. 

A classificação leva em consideração os índices de casos ativos e recuperados, casos transmissores, taxa de incidência, proporção de casos confirmados entre os suspeitos, letalidade e velocidade de avanço do vírus por região.

Leitos de UTI

Além dos sete indicadores acima, a ocupação dos leitos de UTI também entra na conta. O documento que explica a metodologia do painel aponta que o cálculo é feito pela proporção dos hospitais públicos regulados que estão ocupados tanto com casos casos de Covid-19 como por outras razões. 

“Para melhorar esse indicador é necessário disponibilizar mais leitos clínicos para regulação, sendo por parcerias com o setor privados, disponibilização de novas unidades de internação, vocacionamento de estabelecimentos e setores para internação clínica de casos de casos de SARS-cov-2”, aponta o texto produzido pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) e enviado aos municípios. 

Na Foz do Rio Itajaí, há apenas três hospitais que recebem pacientes de Covid-19. Naquela região o poder público diverge na contagem de leitos. Para as unidades hospitalares, há 74 disponíveis. O Estado afirma, porém, que são 141. 

Regiões:

  • Risco potencial Gravíssimo: Foz do Rio Itajaí, Xanxerê e Laguna – 18%
  • Risco potencial Grave: Extremo Oeste, Alto Uruguai catarinense, Meio Oeste, Alto Vale do Rio do Peixe, Alto Vale do Itajaí, Planalto Norte, Médio Vale do Itajaí, Nordeste, Grande Florianópolis, Carbonífera e Extremo Sul catarinense – 68%
  • Risco potencial Alto: Serra e Oeste – 12%

Documento para cidades

Semanalmente, os gestores de cada município recebem o painel atualizado com recomendações divididas em quatro dimensões de prioridade. Elas são elencadas de 4 (como maior prioridade) a 1 (menor).

São elas: Isolamento social; Investigação, testagem e isolamento de casos; Reorganização de fluxos assistenciais; e Ampliação de leitos.

Foz do Rio Itajaí

Na região, o isolamento social recebeu prioridade 4. Investigação, testagem e isolamento de casos tem prioridade 2 segundo a última atualização do painel.

Em relação à Reorganização dos fluxos assistenciais, que mede o número casos de Covid-19 na região a cada 100 mil habitantes, o poder público deu prioridade 1. Já a ampliação dos leitos foi classificada como prioridade 3. 

  • Isolamento social: 4
  • Investigação, testagem e isolamento de casos: 4
  • Reorganização de fluxos assistenciais: 2
  • Ampliação de leitos: 3

Xanxerê e Laguna

Nas prioridades apontadas, a SES apontou três dos quatro itens como prioridade 4. Apenas a Reorganização dos fluxos assistenciais recebeu nota 1. O mesmo se repetiu com a regional de Laguna.

  • Isolamento social: 4
  • Investigação, testagem e isolamento de casos: 4
  • Reorganização de fluxos assistenciais: 1
  • Ampliação de leitos: 4

Fonte: ND Online

%d blogueiros gostam disto: