Com as regiões de Santa Catarina registrando queda nas taxas de transmissão da Covid-19, entrando na melhor situação desde junho e sem regiões em estado gravíssimo, a primavera começou com a SES (Secretaria Estadual de Saúde) desenhando cenários para a liberação de inúmeras atividades.

Na última quinta-feira (25) o número de casos de Covid-19 ultrapassou a casa dos 210 mil, conforme a SES. O Estado conta com cerca de 10 mil casos ativos.

É a primeira vez que surge um horizonte para a retomada de teatros, cinemas, museus, bibliotecas, entre outros, como anunciado no último dia 18. Assim como a retomada de bares, casas noturnas, pubs e afins, conforme prevê a portaria publicada nesta sexta-feira (25).

O turismo no Estado também contará com um programa de incentivo, que deve ser lançado nas próximas semanas. Motivado não só pela melhora epidemiológica, mas também com o aumento das temperaturas que estimula as viagens a diferentes destinos.

Temperaturas amenas

A estação das flores teve início no último dia 22. Com previsão de temperaturas mais altas, intensificação do turismo e flexibilização das restrições para conter o contágio de Covid-19, a primavera permanecerá até o dia 21 de dezembro.

Para outubro, as mínimas devem ficar entre 9°C e 13°C do Oeste ao Planalto e parte do Litoral Sul. Nas demais regiões, ficam acima de 14°C. As máximas são de 20°C a 28°C na maioria das regiões, e abaixo de 20°C em uma pequena área do Planalto Sul.

Já em novembro, as mínimas devem ficar entre 10°C e 14°C no Meio-Oeste e áreas do Planalto Sul. Nas demais regiões, ficam entre 15°C e 18°C. As máximas devem ficar acima dos 25°C em todas as regiões.

Em outubro temperaturas devem subir – Foto: Arquivo/Anderson Coelho/ND

Primavera de poucas chuvas

Além da pandemia do novo coronavírus, outro fator transformará a primavera deste ano em uma estação singular. É o fenômeno “La Niña”, que deve resultar em chuvas acumuladas em curtos espaços de tempo, mas com maior intensidade.

Esta primavera terá menor incidência de precipitações em todo o Estado, explica a Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina). Dentre os três meses, outubro deve ser o mais chuvoso. Já dezembro será o mês “mais seco”.

Reflexos no turismo

Devido às temperaturas mais agradáveis, o turismo costuma ser intensificado na primavera, explica Leandro Mané Ferrari, presidente da Santur (Agência estadual de Desenvolvimento do Turismo). Isso porque a estação permite que os moradores aproveitem tanto os pontos turísticos nas regiões mais frias, quanto as atrações características das regiões mais quentes.

Observação da Baleia Franca, espécie que migra entre os meses de julho e novembro, é uma das atividades turísticas da primavera – Foto: Instituto Australis/Divulgação/ND

Além das praias, que voltam a ser povoadas na estação, e os canyons da Serra que mantém as movimentações do inverno, um outro atrativo turístico é a observação da Baleia Franca. Ela visita o litoral catarinense entre os meses de julho a novembro.

Osmar José Vailatti, presidente da Abih-SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis SC), estima que as reservas cresceram mais de 50% em setembro, em todo o Estado. Na pousada Pedra da Ilha, que Vailatti administra em Penha, as reservas para o mês de outubro cresceram mais de 70%. “Esse crescimento comprova que as pessoas estão querendo viajar mais” afirma.

Estímulo ao turismo regional

Para ajudar a recuperação do setor, que sofreu baixas nos últimos meses, a Santur lançará plataforma para estimular o turismo regional no Estado.  A ideia, segundo Ferrari, é estimular que os catarinenses conheçam melhor o próprio Estado.

O “Viaje Mais SC”, que deverá ser oficialmente lançado na próxima semana, realizará a capacitação de setores econômicos, tanto para a recepção dos turistas quanto para a adoção de protocolos sanitários. E também criará novos roteiros turísticos.

“Em 40 minutos podemos conhecer a Serra, Canyons e praias” afirma Ferrari. “O morador não conhece o Estado. Como agora é difícil ir ao exterior, queremos mostrar que existe o exterior dentro de SC”. Como resultado do estímulo, Ferrari acredita que os pacotes de turismo devam ficar mais baratos.

Por outro lado, a Santur promoverá através de selos especiais os estabelecimentos que promoverem medidas sanitárias para conter o contágio da Covid-19 e seguirem os protocolos recomendados pelo Ministério da Saúde e pelo WTTC (World Travel & Tourism Council).

Restrições

Nas últimas semanas, a Secretaria estadual de Saúde publicou uma série de portarias prevendo a liberação de inúmeras atividades, com restrições, caso as taxas de contágio caiam em Santa Catarina. Dentre elas, teatros, cinemas, casas noturnas e eventos. Confira:

  • Cinemas: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo ou grave e seguem as medidas de proteção adotadas. Retomada com restrições.
  • Eventos Sociais: autorizados com lotação máxima de 40% em regiões com risco potencial alto e de 60% em regiões com risco potencial moderado. Retomada com restrições.
  • Museus: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo ou grave e seguem as medidas de proteção adotadas. Retomada com restrições.
  • Casas noturnas, boates, pubs e casas de shows: autorizados nas regiões que não estiverem mapeadas com risco potencial gravíssimo, grave e potencial alto. Retomada com restrições.

Apenas a região do Extremo Oeste permanece no nível alto – Foto: Governo do Estado de Santa Catarina/Divulgação

A mudança é significativa uma vez que as atividades estavam suspensas por tempo indeterminado. Hospedagens em hotel e estabelecimentos comerciais seguem operando com restrições de ocupação.

Com a melhora na taxa de contágio as aulas presenciais também devem ser retomadas em Santa Catarina a partir do dia 13 de outubro. Entretanto, apenas o reforço escolar tem aval para voltar. A Capital catarinense segue com as restrições definidas no decreto publicado no dia 18 de setembro, e com vigência de 14 dias.

Fonte: ND Online