• 28/09/2020

As Frutas e a Fruticultura

O Brasil, pelas suas grandes dimensões e variações climáticas, é um grande produtor de frutas. Tem boas condições tanto para produzir frutas de clima tropical, como de clima subtropical e também de clima temperado. Por essas características, pode-se dizer que o país pode dispor de frutas durante todo o ano, com grande diversidade e isso é interessante.


No aspecto alimentar e dietético, a produção e o consumo de frutas é muito importante. Dentro dos critérios aprovados pela Organização Mundial de Saúde – OMS, é recomendável consumir de 3 a 5 porções diárias, ou seja, uma porção a cada refeição. Cabe lembrar, também, que essas porções de frutas, podem ser substituídas por hortaliças.


As frutas, com seu elevado valor nutricional, têm destaque em características como:

  • são alimentos naturais que não necessitam ser preparados;
  • possuem diversos sabores e aromas;
  • são fontes naturais, principalmente, de vitaminas, sais minerais, água, fibras, glicídios de fácil digestão (açúcares solúveis naturais), antioxidantes e gorduras insaturadas;
  • contém fitoquímicos benéficos à saúde (carotenóides, flavonóides, licopenos, pectinas e outros), que atuam como antioxidantes, combatendo os radicais livres, prevenindo e até curando certas doenças;
  • auxiliam no bom funcionamento do organismo, estimulando as glândulas endócrinas (de secreção interna) e órgãos vitais do organismo, possibilitando o seu bom funcionamento.
    O cultivo de frutíferas, ou seja, a fruticultura pode ter diversas e úteis finalidades. Entre outras, pode-se destacar: a reserva ecológica; o reflorestamento; a arborização e o embelezamento; a proteção do solo, das encostas e do meio ambiente; o consumo familiar e a subsistência; a geração de renda e o retorno econômico.
    Quanto ao aspecto econômico da atividade, pode-se citar:
  • é uma atividade de alta densidade econômica, exigindo altos custos, mas possibilitando altos rendimentos, mesmo que em pequenas áreas;
  • permite melhor aproveitamento e proteção, de áreas mais difíceis, do que muitas outras atividades;
  • valoriza a área ocupada e a propriedade;
  • possibilita diversificar a propriedade, aumentando a segurança e o aproveitamento de toda a infraestrutura, além das máquinas, equipamentos e mão de obra;
  • cria diversas oportunidades econômicas e de circulação de riquezas (compras, vendas, transporte, beneficiamento, atividades complementares, insumos, crédito, indústrias, comércio, etc.);
  • gera divisas para o país, através das exportações, sendo elas, tanto na forma industrializada, como na “in natura”.


No aspecto social, pode-se destacar que além da produção de alimentos, cria muitas oportunidades de ocupação e renda para profissionais e trabalhadores de diversas áreas e diversos segmentos, possibilitando melhorar a evolução econômica e social dos envolvidos e do local onde vivem.


De um modo geral, pode-se dizer que cada hectare (1 ha) de frutas, quando convenientemente estruturado, proporciona, em média, de 1 a 2 empregos diretos e outros tantos indiretos, demonstrando sua importância social e econômica para todos os envolvidos.


Cultivar frutas, portanto, além dos benefícios à nutrição, à saúde e ao meio ambiente, pode ser uma boa alternativa econômica. Pode proporcionar a colheita de “bons frutos” desde que haja realmente o interesse, com recursos, conhecimento e dedicação.